Serra nega guerra jurídica e diz que só teme a ''inveja''

Em meio à guerra jurídica entre PT e PSDB, o presidenciável José Serra (PSDB) afirmou não temer ações judiciais ou dossiês contra sua candidatura. "Não tenho medo de nada. Tenho medo só da inveja dos outros ou de ressentimentos", disse, após participar do lançamento de Geraldo Alckmin ao governo paulista.

CAROLINA FREITAS, O Estado de S.Paulo

09 de maio de 2010 | 00h00

Serra minimizou o volume de ações já encaminhadas à Justiça Eleitoral por PT e PSDB. "Não acho que seja guerra jurídica. Se há algo errado, você vai recorrer à Justiça, porque não há outra possibilidade. São as regras do jogo."

O tucano negou que tivesse ocorrido alguma irregularidade na cerimônia de ontem. "Não tem nenhum uso da máquina", afirmou. "São encaminhamentos. A caminhada de verdade começa depois das convenções, mas você não é proibido de manifestar sua vontade, seus desejos, suas disposições."

Garganta. A voz deixou o tucano ontem na mão. Após discursar por 25 minutos sem problemas, Serra engasgou por três vezes quando dava coletiva aos jornalistas. "Melhor aqui do que lá no ato", comentou. Para diminuir a irritação na garganta, ele disse que tem tomado mel e um "pozinho japonês", recomendado por seu acupunturista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.