Serra nega inchaço com novos ministérios

Em sua segunda incursão em duas semanas pela Bahia, o pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, voltou a defender a criação do Ministério da Segurança Pública, mas negou que essa atitude cause inchaço na máquina pública.

Tiago Décimo, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2010 | 00h00

"O governo federal precisa mergulhar no tema da segurança porque a situação é muito séria. Em nenhum Estado as Secretarias da Justiça e da Segurança são a mesma coisa", disse, rebatendo as críticas da pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, que afirmou ser desnecessária a criação do Ministério da Segurança.

Sobre o suposto inchaço da máquina governamental, uma das principais críticas da oposição ao atual governo, Serra negou que isso vá ocorrer - ele já havia sugerido a criação de um ministério para tratar de temas sobre os deficientes físicos. "A máquina pública tem que ser fortalecida nas questões principais do País", afirmou.

Acompanhado por lideranças de seu partido e do DEM no Estado, Serra visitou duas cidades "amigas" de sua candidatura. No início da tarde, foi a Alagoinhas, maior cidade administrada pelo PSDB na Bahia. Depois seguiu para Feira de Santana, onde visitou dom Itamar Viana, arcebispo da cidade, e participou do lançamento da pré-candidatura do ex-prefeito José Ronaldo (DEM) ao Senado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.