Serra vai lançar plano de governo aos poucos

Ideia é eleger cidades estratégicas para sediar a apresentação de tópicos do programa; escolha dos temas levará em conta vocação e carência dos locais

Christiane Samarco BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2010 | 00h00

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, não vai lançar um plano de governo com um pacote fechado de promessas. Em vez do programa produzido por especialistas, Serra prefere anunciar tópicos do seu plano, em visitas de campanha a localidades selecionadas de acordo com o tema a ser apresentado.

A ideia de eleger cidades estratégicas para sediar a apresentação em pílulas do programa tem serventia dupla. Além de multiplicar o fato político, Serra quer aproveitar os anúncios para se aproximar do eleitorado. Os temas serão escolhidos a dedo, de acordo com a vocação ou com as carências do local do anúncio.

Foi assim em Poços de Caldas (MG), na semana passada, quando Serra aproveitou a mobilização promovida pelo deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG), que preside a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), para um encontro com lideranças onde anunciou a criação do Ministério da Defesa dos Direitos da Pessoa com Necessidades Especiais.

Serra deve apresentar suas ideias para melhorar a segurança pública, em locais com elevado índice de violência, como Rio de Janeiro, Pernambuco ou Bahia. O deputado Jutahy Júnior (PSDB-BA) foi um dos que pediu ao candidato que reserve uma novidade para anunciar em Salvador. No Ceará do senador Tasso Jereissati (PSDB), que criou o programa de agentes de saúde quando governou o Estado em 1987, Serra abordar o tema saúde. Os tucanos entendem que o novo formato é uma evolução de como foi a campanha do presidente dos EUA Barack Obama.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.