Serviço de transporte vai atender deficientes físicos

O número de deficientes físicos atendidos com transporte especial na capital paulista deve aumentar em 50% depois da reformulação do programa Atende, da São Paulo Transporte (SPTrans). Para aumentar o número de pessoas atendidas - atualmente, cerca de 500 passageiros são transportados nos dias úteis -, a Prefeitura vai restringir o número de viagens.O passageiro vai definir dois destinos e só poderá fazer uma viagem num mesmo dia. Por mês, uma viagem poderá ser acrescentada para fins de cultura e lazer. As cem vans do Atende transportam os deficientes para o trabalho, escola e sessões de fisioterapia durante toda a semana. O custo mensal do programa é R$ 700 mil. Apenas 177 ônibus, da frota de 10 mil na cidade, são adaptados para transportar deficientes físicos. A partir de segunda-feira, a Secretaria Municipal de Assisência Social começa a recadastrar os deficientes da capital que precisam do serviço em 17 pontos diferentes. Todos poderão inscrever-se, mas os que tiverem renda baixa e poucas condições de locomoção terão prioridade para ter o serviço.Mais informaçõesLeia Também: Campinas inaugura semáforo adaptado para deficientes visuais

Agencia Estado,

13 de abril de 2001 | 04h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.