Serviços de manutenção

Carta 19.419Há apenas uma empresa que faz a manutenção da rede pública de iluminação na cidade, e o número de queixas é prova da má qualidade do serviço. A zona norte é a mais prejudicada. Se fazemos queixa dão 4 dias de prazo, mas ao ligar para saber do andamento do caso dizem que o serviço foi feito. A Prefeitura deveria fiscalizar melhor o Ilume, pois desconta R$ 3,50 na conta como Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública, mas não cancelam a cobrança quando ficamos sem energia.AFONSO JOSÉPiritubaA Secr. de Serviços responde:"A região norte é a que mais tem problemas de roubo de cabos, com aumento de 60% no volume de roubos em agosto/setembro, em relação a julho. Só em setembro, foram furtados 68 km de cabos na zona norte (32% da extensão total furtada no mês, que foi de 211 km). A Prefeitura age para inibir a ação dos bandidos, substituindo os cabos de cobre por alumínio, fechando ferros-velhos e reforçando a segurança em túneis. O contrato é com o Consórcio SPLuz e com a FM Rodrigues, que atende três áreas. O Ilume acompanha o trabalho das contratadas, e quando o serviço não é bem feito, a empresa é multada. O projeto de renovação do parque de iluminação era feito pelo programa Reluz, mas a Eletrobrás não repassou recursos para a AES Eletropaulo e os trabalhos foram suspensos, sem prazo para retomada. O Ilume estuda alternativas para a renovação do parque. Quanto à falta de energia, a queixa deve ser enviada à concessionária local." Carta 19.420E dá-lhe falta de luz!A Rua Frei João do Rosário é muito estreita, expondo os moradores a perigos - e agora está escura, pois desde o dia 18/12 estamos sem luz (carta de 26/12). No dia 23, ao reclamarmos de novo, o atendente disse que o serviço fora feito. Dissemos que não é verdade, pois ninguém estivera na rua. Se a empresa responsável informa à Prefeitura que concluiu um serviço que não fez, a Prefeitura - e nós - estamos sendo enganados.MARCO AURÉLIO MACHADOCidade AdemarA secretaria responde:"O Ilume constatou que o leitor pediu a substituição das lâmpadas brancas por amarelas, mas o Programa Reluz foi suspenso, pois o Governo Federal suspendeu a verba."O leitor informa que em nenhum momento pediu a substituição das lâmpadas brancas por amarelas. Há mais de 60 dias a Avenida 23 de Maio, entre o Centro Cultural e o Viaduto Paraíso, está às escuras. A Rua Maestro Cardim também está sem luz. Fiz queixa à Prefeitura, sem resposta. Seria incompetência, ou um racionamento que não convém ser informado à população? Com o gás descoberto em Santos, quem sabe volte a iluminação a gás, mais romântica. Enquanto isso, os bandidos que se aproveitem da escuridão.ARMANDO AUGUSTO DA CRUZParaísoA secretaria responde:"Está sendo feita uma obra numa galeria de onde foram retirados três postes, a pedido da Siurb. Ao término da obra recolocaremos os postes (carta de 11/12)." No dia 16/11 telefonei para o Ligue Luz da Prefeitura para comunicar que a região das Ruas Pio XII, Artur Prado, Martiniano de Carvalho, Cunha Bueno e Dr. Alfredo Ellis estava com várias lâmpadas apagadas,e eles disseram que o problema seria resolvido em até 4 dias. Como não resolveram, liguei novamente e informaram que os técnicos estiveram no local e constataram que a chave de um fusível na Rua Artur Prado precisava ser trocada. Era ?só aguardar a Eletropaulo? (e para eu saber a previsão eu deveria ligar para lá). Só que as descobri que o Ligue Luz não se comunicou com a Eletropaulo, e eu deveria ligar para a Ouvidoria da Prefeitura. O jogo de empurra começou já no dia 20/11 (carta de 4/12). DOUGLAS GUERCHFELDBela VistaA AES Eletropaulo responde:"O Ilume fez o serviço de reparo da iluminação no dia 5/12."O leitor comenta:Por que é que o serviço demorou quase um mês para ser executado? Minha queixa foi feita no dia 16/11, mas a região estava sem iluminação (parcial) desde o início de novembro. O que é esse Ilume? E não é muita coincidência que o serviço tenha sido feito um dia após minha carta ao Estadão?Para sua informação: Ilume significa Departamento de Iluminação Pública.Correspondência para São Paulo Reclama: e-mails para spreclama.estado@grupoestado.com.br; cartas para Av. Eng.º Caetano Álvares, 55, 6.º, CEP 02598-900 ou fax 3856-2929, com nome, end., RG e tel., a/c de CECILIA THOMPSON, podendo ser resumidas a critério do jornal. Cartas sem esses dados não serão consideradas. As respostas não publicadas serão enviadas pelo correio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.