Serviços do Juizado são suspensos no Estado após incêndio

O incêndio no 11º andar do prédio do Juizado Especial Federal paralisou a prestação de seus serviços no Estado de São Paulo, pois a Central de Documentação fica instalado no prédio da Avenida Paulista, que está interditado pelos bombeiros e também para que a Polícia Federal realize uma perícia no local, como é de praxe em casos como este. Os funcionários que trabalham no prédio já foram dispensados, ficando com a obrigação de ligarem mais tarde, para saber se o prédio foi liberado para o trabalho normal nesta quarta-feira, 9. De acordo com a Assessoria de Imprensa do Juizado Especial Federal, dos 20 Juizados Especiais Federais do Estado, 18 foram paralisados por conta do incêndio na manhã desta terça-feira. Os Juizados de Campinas e Ribeirão Preto funcionam normalmente, por terem sistemas independente.O trânsito na pista sentido Paraíso da Avenida Paulista foi totalmente liberado por volta das 11 horas, após ficar interditada por duas horas devido a um incêndio no trecho entre as ruas Peixoto Gomide e Pamplona. O trânsito ainda era intenso por volta das 11h30, mas já fluía nos dois sentidos. A interdição chegou a causar cinco quilômetros na avenida Rebouças e em várias ruas da região.Causas do incêndioA juíza presidente do Juizado Especial Federal, Marisa Cucio, disse que não foram perdidos dados importantes após o incêndio que atingiu o prédio do Ministério Público Federal, em São Paulo, descartando a hipótese de queima de arquivos e de documentos. O Coronel do Comando do Corpo de Bombeiros Metropolitano, João dos Santos de Souza, afirmou que a perícia será feita pela Polícia Federal.O principal foco do incêndio, de acordo com o bombeiro, foi controlado em 15 minutos e o rescaldo continuava sendo feito. O Coronel dos Bombeiros afirmou que o sistema de segurança do prédio estava em ordem, entretanto, funcionários afirmaram não terem ouvido sinal algum de alarme denunciando o incêndio. No prédio do Juizado Especial Federal são realizadas 80 audiências por dia referentes a processos de até 70 salários mínimos de indenização.De acordo com uma funcionária do prédio, 90% dos processos são relacionados a direito previdenciário, principalmente relacionados ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).Esta matéria foi atualizada às 14h27 para acréscimo de informações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.