Servidores da Justiça voltam ao trabalho em Taubaté

Às 7 horas desta segunda-feira, cerca de 300 funcionários públicos do Judiciário começaram a chegar ao trabalho, em Taubaté, no Vale do Paraíba.Fogos de artifício e faixas de boas-vindas foram postos em frente aos fóruns para o retorno. Apesar do clima de festa, o coordenador do comando de greve da região, Benedito Antônio Primo, informou que a greve não acabou, apenas foi suspensa."Se o Tribunal de Justiça (TJ) não mantiver a palavra, paramos de novo", ameaçou. Para ele, a paralisação foi "positiva", uma vez que há oito anos a categoria não se mobilizava. "Mostramos que temos força e estamos unidos."Assim como em todo o Estado, onde cerca de 30 toneladas de processos estavam paradas, os servidores de Taubaté ficaram apreensivos com o prazo de um mês determinado pelo tribunal para que tudo seja posto em ordem. "De quatro a seis meses para tudo andar normalmente", diziam, unânimes.Ao meio-dia, as portas dos fóruns foram abertas ao público, menor do que o esperado pelos funcionários públicos da Justiça Estadual. Os advogados, que se aglomeravam entre papéis e filas, mostraram-se aliviados. "Foram dois meses de muita dificuldade", disse o advogado Romeu Goffi, que protocolava um processo com 3 mil páginas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.