Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

Servidores do Ibama protestam no Rio

Eles cobram promessas que teriam sido feitas em 2008 pelo governo, como reestruturação do plano de carreira

Marcelo Gomes - Agência Estado,

14 Junho 2012 | 17h40

RIO DE JANEIRO - Cerca de 30 servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) realizaram, na manhã desta quinta-feira, 14, uma manifestação no Cristo Redentor cobrando o cumprimento de promessas que teriam sido feitas em 2008 pelo governo federal às duas categorias, como a reestruturação do plano de carreira, revisão da tabela salarial, implementação de gratificações e realização de concurso público.

Acorrentados, amordaçados e vestidos de preto, os trabalhadores fizeram uma encenação aos pés da estátua mais famosa do Brasil, representando eles próprios. Enquanto isso, três servidores ostentavam faixas semelhantes às presidenciais, simbolizando o governo. "A ideia é aproveitar a Rio+20 e mostrar para a sociedade a situação de imobilidade da categoria frente ao descaso do governo com a área ambiental. Não sabemos mais o que fazer para mudar esse quadro. Já são quatro anos de negociação", disse Carlos Martins, presidente da Seção Rio da Associação dos Servidores da Carreira Especialista em Meio Ambiente (Asibama-RJ).

Nesta quinta haverá assembleias em diversos estados para decidir se os cerca de 6 mil servidores do Ibama, ICMBio e do Ministério do Meio Ambiente entram em greve. Caso decidam pela paralisação, será a quinta vez desde 2007. Os trabalhadores também cruzaram os braços em 2008, 2009 e 2010.

Para eles, o discurso do governo federal demonstrando preocupação com o meio ambiente, principalmente na Rio+20, não condiz com a prática. "O modelo de desenvolvimento do país não é adequado. Somos meros exportadores de commodities. E essas atividades extrativas, seja de minérios ou de petróleo, geram enormes impactos ambientais. As usinas hidrelétricas que estão sendo construídas na Amazônia, por exemplo, servirão para fornecer energia para as empresas que exploram minério na região", ressaltou Martins.

Os servidores também protestaram contra a Medida Provisória que cria o novo Código Ambiental e exigiram a realização de concurso público. "Para se ter uma ideia, em três anos 95% dos servidores administrativos do Ibama no Rio vão se aposentar. A situação e grave", afirmou o presidente da Asibama-RJ.

O protesto chamou a atenção de dezenas turistas brasileiros e estrangeiros que visitavam o Cristo Redentor nesta manhã. Enquanto alguns tiravam fotos de curiosidade, outros demonstravam apoio às reivindicações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.