Estadão
Estadão

Servidores do PR fazem novo protesto contra propostas de Richa

Objetivo é pressionar Executivo a aumentar o reajuste dos 5% para no mínimo 8,17%, equivalentes à inflação dos últimos 12 meses

Julio Cesar Lima, Especial para o Estado

19 Maio 2015 | 10h57

CURITIBA- Professores e servidores públicos estaduais de diversos setores estão reunidos nas Praças Rui Barbosa e Santos Andrade, na região central de Curitiba, para iniciar no final da manhã desta terça-feira, 19, uma caminhada em direção ao Palácio Iguaçu, sede do governo. Eles têm como objetivo pressionar o Executivo a aumentar a proposta de reajuste dos 5% para no mínimo 8,17%, equivalentes à inflação dos últimos 12 meses. Até as 10 horas, a organização contava 15 mil pessoas nas duas concentrações, e a polícia ainda não tinha um número oficial. Já o governo disse que não irá negociar sem que os professores encerrem a greve.

A expectativa dos organizadores é de que 50 mil servidores de 21 categorias se encontrem às 12 horas em frente ao Palácio. Além disso, também é aguardada uma reunião com a Casa Civil, que recuou e não enviou à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) o projeto de lei que determinava o reajuste de 5% para todos os servidores.

O projeto seria encaminhado nesta segunda-feira, 18, mas o governo voltou atrás para reavaliar o impacto econômico na folha de pagamento do estado.

Para a diretora financeira do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Paraná (APP Sindicato), Marlei Fernandes, o governo tem condições de dar um reajuste maior. “O governo tem insistido para voltar, mas ele tem que nos atender, temos estudos que mostram ser possíveis sim aplicar os 8.17%”, concluiu.

Mais conteúdo sobre:
greve paraná beto richa professores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.