Sesc, Estado e França ajudam Virada de SP

Com menos verba da Prefeitura, evento conta pela primeira vez com recurso adicional de R$ 400 mil; quantidade de atrações é mantida

Mônica Cardoso, O Estadao de S.Paulo

16 de abril de 2009 | 00h00

Com orçamento mais enxuto, a 5ª edição da Virada Cultural traz cerca de 800 atrações em 150 pontos de São Paulo, nos dias 2 e 3 de maio. A Prefeitura destinou R$ 5 milhões para a realização do evento, 30% menor do que o valor do ano passado (R$ 6,8 milhões). Pela primeira vez, haverá aporte financeiro de parceiros - R$ 100 mil do Sesc, R$ 300 mil da Secretaria Estadual da Cultura e apoio do governo francês para a vinda de grupos franceses de música e teatro. "Não poderia ser diferente, já que até o presidente da República (Luiz Inácio Lula da Silva) pediu para as prefeituras apertarem os cintos no começo do ano", disse o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM). Para manter a qualidade e o número de atrações, a redução dos recursos tornou-se desafio para os organizadores da festa. "Em cultura, dinheiro é muito importante, mas não é tudo. Sem imaginação, não se faz nada. A falta de dinheiro nos obriga a soluções mais criativas", disse o secretário municipal de Cultura, Carlos Augusto Calil. Muitos artistas aceitaram cachê menor. "A Virada é um evento relevante que traz visibilidade ao artista porque ele pode se apresentar para um grande público e reviver um trabalho antigo. Eu fiz a maioria das propostas aos artistas e fui ajustando à nossa receita", afirmou José Mauro Gnaspini, diretor da Virada Cultural. "Nosso objetivo é trazer atrações de relevância cultural, o que não significa ter uma forte presença no mercado fonográfico atual. Exemplo disso é a reunião do Novos Baianos (grupo da década de 1970) que tem uma importância seminal na música brasileira, mas está fora do circuito." Nessa edição, uma das novidades é o Ano da França no Brasil, que contará com a presença de espetáculos de rua franceses no Jardim da Luz e nas Praças do Patriarca e Ramos. A abertura do evento será no dia 1º de maio, com a companhia francesa Carabosse, no Jardim da Luz, às 22 horas. Em direção à Estação da Luz serão montados vários palcos, como forma de apoiar o projeto municipal de revitalização da região. De olho nos turistas, principalmente do interior do Estado, essa é a primeira vez que o evento ocorre em um feriado prolongado. A expectativa da São Paulo Turismo (SPTuris) é receber 300 mil visitantes nesta edição - crescimento de 15% no número de turistas. Como a permanência do visitante será maior, ele deve gerar mais divisas. De acordo com cálculo da SPTuris, os gastos dos turistas devem aumentar de R$ 240, em média, para R$ 400. "São Paulo vive cada vez mais do calendário de eventos que gera receitas e empregos", disse Kassab. No Palco Toca Raul, na Estação da Luz, 19 bandas revivem todos os álbuns do artista. O Teatro Municipal, fechado para reforma, vai reabrir especialmente para apresentações de grandes artistas para reviver um álbum de sucesso. A programação completa está em www.viradacultural.org. PALCOS E SHOWSAvenida São João - Grandes shows e numerosas plateiasMaria RitaNovos BaianosMarcelo CameloGeraldo AzevedoZeca BaleiroCordel do Fogo EncantadoJon Lord (tecladista, Deep Purple)Teatro Municipal - Artistas tocam um álbum da sua carreiraFafá de Belém - Água (1977)Tom Zé - Grande Liquidação (1968)Chico César - Aos Vivos (1995)Arrigo Barnabé - Clara Crocodilo ( 1980)Beto Guedes - Alma de Borracha (1986)Egberto Gismonti - Alma (1986)Francis Hime - Francis Hime (1973)Largo do Arouche - Romântico Reginaldo RossiWandoBenito di PaulaOdair JoséLuís AyrãoJane e HerondyWanderley Cardoso Praça da República - RockCamisa de VênusCPM 22 Nação ZumbiVanguartJoelho de PorcoIke Willis e central scrutinizer bandEstação da Luz - 20 anos sem Raul SeixasNasiMarcelo Nova e Os PanterasVelhas VirgensAvenida Rio Branco - Samba-rockTrio MocotóClube do BalançoSambasonicsFarufyno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.