Divulgação
Divulgação

Sete adolescentes infratores são mortos após rebelião em Caruaru

Seis morreram carbonizados e um foi decapitado; é o terceiro motim no Estado em menos de seis meses, com 12 óbitos

Anderson Bandeira, Especial para o Estado

31 Outubro 2016 | 10h14

RECIFE - Sete internos foram mortos após uma rebelião nas instalações da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) de Caruaru, no agreste de Pernambuco, na noite deste domingo, 30. Conforme a Polícia Militar, das sete vítimas, seis morreram carbonizadas, após incêndio ocasionado pelos próprios internos, e uma decapitada. 

A última vítima foi encontrada com afundamento no crânio e as mãos decepadas. A polícia ainda não sabe os motivos do crime. O local tem capacidade para atender 90 adolescentes, mas opera com 205 internos. 

Segundo informações extraoficiais, a confusão começou após um grupo de internos invadir uma ala da unidade e matar três adolescentes no banheiro de uma cela. Não satisfeitos, o grupo se dirigiu a outro setor, onde mais quatro internos foram assassinados. 

Após a ação, ao perceber a presença dos policiais, os internos atearam fogo nos colchões e lançaram pedras contra a guarnição. Bombas de efeito moral foram deflagradas para controlar os socioeducandos. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Caruaru. 

A Funase informou, em nota, que uma sindicância foi aberta para apurar o caso com previsão de ser concluída em 20 dias podendo ser prorrogada por mais 20 dias. 

Rebeliões. No Estado, essa é a terceira rebelião em menos de seis meses. No dia 25, quatro internos foram mortos após rebelião na Funase de Timbaúba, na Zona da Mata Norte do Estado.

Em julho, um jovem morreu e dois ficaram feridos na unidade de Abreu e Lima, na região metropolitana do Recife. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.