Sete pessoas morrem por dia nas estradas paulistas

Um estudo realizado pela Secretaria Estadual dos Transportes revelou que sete pessoas morrem diariamente em acidentes nas estradas de São Paulo. Nos 22 mil quilômetros das rodovias paulistas, 13 milhões de veículos circulam por dia. A falta de acostamento, as más condições das estradas, a sinalização ruim, o estado dos veículos e a imprudência têm transformado as viagens dos motoristas em tragédia. Somente no ano passado, 2.319 pessoas morreram nas rodovias de São Paulo e 64,3 mil acidentes foram registrados, uma média de quase 180 por dia.Excesso de velocidadeUma das recordistas em ocorrências no Estado é a Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, na Baixada Santista. Além de ser a principal ligação do litoral paulista ao sul do País, em feriados prolongados, a estrada recebe 70% dos carros que passam pelo Sistema Anchieta-Imigrantes. Segundo especialistas, a duplicação da rodovia é fundamental para diminuir os riscos de acidentes. Até agora, porém, menos da metade dos 110 quilômetros da Padre Manoel da Nóbrega recebeu uma nova pista.Já a Polícia Rodoviária Estadual não concorda que a causa principal dos acidentes esteja relacionada à falta de duplicação da estrada. Isso ajuda a engrossar as estatísticas, aliado ao fato da rodovia passar pelo meio de várias cidades e a maioria dos pedestres não utilizar as passarelas para fazer as travessias. De acordo com os policiais, o principal motivo das ocorrências é a imprudência, ou seja, excesso de velocidade.Cartilha para a PáscoaCom o objetivo de aumentar a segurança nas estradas e também em função da aproximação do feriado prolongado de Páscoa, a Secretaria Estadual de Transportes e a Polícia Rodoviária Estadual estão lançando hoje uma cartilha educativa que será distribuída aos motoristas nos pedágios. A cartilha é muito didática e oferece ao motorista 13 questões básicas antes do início da viagem.O capitão Jurandir Gaidukas disse hoje, na Rodovia Castelo Branco, que, além da cartilha, a Polícia Rodoviária vem intensificando a fiscalização nas estradas, principalmente no que se refere à segurança dos veículos e as condições psicológicas dos condutores.Em entrevista ao programa Bom Dia São Paulo, da TV Globo, o militar comentou que o grande número de acidentes nas rodovias paulistas é proporcional ao tamanho da frota. "A frota de São Paulo é a maior do Brasil, e o volume de tráfego nas nossas estradas também é o maior do País. Apesar disso, as principais rodovias paulistas estão em boas condições, graças também ao programa de concessões. O principal motivo para os acidentes continua sendo a imprudência dos motoristas", afirmou.Gaidukas informou ainda que, no ano passado, foram registrados 10 mil acidentes a menos do que em 2000. Em compensação, no mesmo período foram feitas, segundo ele, 200 mil autuações a mais e recolhidos 91 documentos de veículos irregulares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.