Sete pessoas são presas durante operação policial no Rio

Sete pessoas acusadas de tráfico de drogas no Morro Santo Amaro, no Catete, na zona sul do Rio de Janeiro, foram presas na manhã desta segunda-feira, 17, durante uma operação policial para cumprir 17 mandados de prisão. Durante a ação, não houve troca de tiros e ninguém ficou ferido. Com os detidos, a polícia apreendeu três rádios transmissores, duas pistolas, um revólver, munições de diversos calibres, uma touca ninja e R$ 400 em dinheiro. Até a tarde desta segunda-feira, 13 mandados haviam sido cumpridos.Com as prisões, foi encerrado o caso da morte de cinco pessoas, encontradas dentro de um táxi próximo a favela, há cerca de um mês. O crime teria sido planejado pelo chefe do tráfico, Humberto Ferreira da Silva, de 31 anos, que está foragido. O motivo, segundo a polícia, seria um seguro de vida no valor de R$ 20 mil que Flávia Dantas, também acusada de participar do crime, receberia com a morte do marido, o taxista Ernesto Grimaldi Filho, de 44 anos, uma das vítimas.Segundo o delegado Fernando Veloso, da 9ª Delegacia Policial, outro caso envolvendo os traficantes deve ser resolvido em breve após estas prisões. Segundo ele, um exame de balística dirá quem dos presos foi o autor dos disparos que mataram, no mês de maio, a jovem Elenilda da Silva, de 16 anos. Grávida de oito meses, a jovem chegou a dar à luz uma menina, que morreu em coma na última sexta-feira. O delegado afirmou que outros dez mandados ainda serão cumpridos. Um deles impede que Marco Antônio Pereira Firmino da Silva, chefe do tráfico em Santo Amaro e de outras quatro favelas, seja solto de Bangu I. "Tivemos que agilizar o cumprimento dos mandados para que Firmino da Silva, o "My Thor", não fosse solto, de acordo com a nova Lei de Crimes Hediondos", disse o delegado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.