Setenta soldados combatem incêndio no Rio

Setenta soldados do Corpo de Bombeiros estão combatendo o incêndio que destrói cinco andares de um edifício no Centro do Rio de Janeiro, onde funciona a sede da Eletrobrás. Segundo a Globo News, 50 bombeiros combatem o fogo no interior do edifício. Do lado de fora, outros três bombeiros trabalham em uma plataforma tipo grua, com uma mangueira de alta pressão. Por volta das 10h00, alguns focos de fogo ainda eram vistos do lado de fora do prédio que está tomado por uma fumaça negra. Mangueira furadaO funcionário da Lotérica A Simpatia, que fica a 200 metros do prédio da Eletrobrás, Dauro Vicente de Carvalho, contou que ao chegar hoje, às 6h10, havia apenas um carro do Corpo de Bombeiros em frente ao edifício. "O fogo já estava forte e só havia um carro de bombeiro. Depois, a mangueira não tinha água. Quando a água chegou, percebi que a mangueira estava furada, pois vazou água pelos lados", disse Carvalho. Edifício será escoradoO coordenador da Defesa Civil do Município, coronel João Carlos Mariano, disse que a estrutura do prédio da Eletrobrás está abalada, mas descartou o risco de o edifício cair. "O que pode ocorrer é o colapso interno, as lajes dos andares podem cair porque foram super-aquecidas depois de três horas de incêncio", disse Mariano. Partes do reboco caem do edifício. Segundo Mariano, assim que o incêndio for controlado e a estrutura resfriar, será feita o escoramento do edifício. Os prédios vizinhos foram interditados e a energia elétrica da região está cortada. Matriz da SulAméricaA SulAmérica Capitalização informou, por meio de sua assessoria, que o incêndio que ocorre em sua matriz, instalada nos andares 16º e 19º do prédio, atinge os departamentos de call-center, diretoria, e vice-presidência, entre outros departamentos. Segundo informações da empresa, que tem 15 unidades espalhadas pelo País, cerca de 250 pessoas trabalham nos andares.Leia maisIncêndio destrói parte de prédio no centro do RioParte do prédio da Eletrobrás pode desabarFalta de água atrapalha serviço dos bombeiros no Rio

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.