Sexagenário preso ao comprar com cartão clonado

Tentando comprar um relógio, numa joalheria do Shopping Ibirapuera, na zona Sul de São Paulo, usando um cartão de crédito clonado, o representante comercial Salvador Silva Neto, de 68 anos, foi preso e autuado em flagrante no 27º DP - Campo Belo, por estelionato e por falsificação de documento público.O relógio custava R$ 7.218,00. A balconista da joalheria S-Rolim desconfiou de haver alguma irregularidade, quando o cliente apresentou uma carteira de identidade com o nome de José Francisco Canepa, de 50 anos, o mesmo que estava no cartão MasterCard. A foto no documento era dele, mas a aparência era de ser muito mais velho. Acionou a segurança do shopping, mas continuou com o processamento da venda.O comprador demonstrou estar com pressa, mas ao avistar dois segurança, na porta da loja começou a titubear. Descobriu-se, então, que além daquela carteira de identidade, estava com outra com seu nome verdadeiro. Levado à delegacia, constatou-se que já teve outras prisões pelo mesmo delito e que oito familiares estão envolvidos em seus crimes. Só ontem, havia comprado, também, dois computadores portáteis no Hipermercado Extra, de Mogi das Cruzes, totalizando gastos em mais de R$ 21 mil.Para defender-se, alegou que conheceu um homem de prenome José, na Praça da Sé, e combinaram encontrar-se ontem à tarde em frente ao Shopping Ibirapuera. O homem lhe teria fornecido o cartão de crédito e a identidade e pagaraia R$ 200,00 pelo relógio que ele deveria comprar. A polícia, porém, não acreditou nessa versão, principalmente pelos antecedentes do criminoso e pelo envolvimento de seus familiares.

Agencia Estado,

16 de setembro de 2002 | 08h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.