Shopping de SP recebe teatro de grande porte

Sem data definida nem espetáculo contratado, casa será inaugurada no início de setembro

Felipe Branco Cruz, O Estadao de S.Paulo

12 Agosto 2009 | 00h00

O porte é para grandes produções, apesar de caber no interior de um shopping. No início de setembro, São Paulo ganhará mais um palco: o Teatro Bradesco, que ocupa 7 mil metros quadrados do Bourbon Pompeia, na zona oeste, e tem capacidade para abrigar 1.457 espectadores. Ontem, representantes do shopping, do banco, do Grupo Zaffari e da empreendedora Opus reuniram a imprensa para apresentar a novidade. As únicas notícias não informadas, e as mais esperadas, foram a data da inauguração e o espetáculo de estreia. Os organizadores adiantaram, no entanto, que estão cotados para abrir as cortinas o musical Hairspray, com Edson Celulari, os cantores Ney Matogrosso e Simone e até a atriz francesa Juliette Binoche. "Não podemos informar quem vai inaugurar para não criar expectativas. Antes de fecharmos o nome, precisamos terminar os testes técnicos", disse o diretor da Opus, Carlos Conrad. O novo espaço se compara em instalações ao Teatro Abril: tem palco de 600 m², feito de madeira freijó, ideal para balé e dança, com sistema de amortecimento de neoprene e compensado naval. A boca de cena tem 16 metros de largura, 8,5 de altura, além de 60 varas (10 mecanizadas e 50 contrapesadas) no teto, para posicionamento de refletores. No fosso de orquestra cabem 60 músicos. Também foram instalados equipamentos cênicos que, juntos, são capazes de suspender o cenário e colocar outro, todo montado (com até duas toneladas). "Dessa forma, o teatro consegue manter em cartaz até três espetáculos de grande porte e exibi-los um na sequência do outro", conta Claudio Luiz Zaffari, diretor executivo do Grupo Zaffari. Há camarins para 120 artistas simultaneamente e elevador com força para levar ao palco até um automóvel. Segundo os produtores, os preços dos ingressos e o valor do aluguel do espaço para as peças deverão seguir a média do mercado - tamanho, conforto e tecnologia não sairão mais baratos para o espectador. "Por estar inserido dentro do shopping, o público contará com a facilidade de estacionar no local e aproveitar a infraestrutura gastronômica do Bourbon", lembrou Zaffari. Como foi projetado para receber diferentes espetáculos - shows, teatro, musicais e até de cinema -, a acústica do local recebeu cuidado especial - um ponto sensível da obra. O principal detalhe do projeto de som é invisível: a estrutura foi construída sobre isolantes de vibração, com pilares independentes do prédio do shopping.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.