Shopping é condenado a indenizar pais de vítima de atirador

O Shopping Morumbi foi condenado a indenizar por danos morais e materiais os pais de Julio Maurício Zeimates, morto com dois tiros de submetralhadora em 3 de novembro de 1999, quando assistia ao filme Clube da Luta em uma das salas de projeção do local. O autor do crime foi o então estudante de medicina, Mateus da Costa Meira, que acabou condenado pelo Tribunal do Júri em São Paulo, a 120 anos de reclusão. No momento dos disparos, 33 pessoas estavam na sala e, além de Zeimates, duas outras pessoas foram mortas e cinco ficaram feridas.O juiz da 23ª Vara Cível central, Paulo Henrique Maurício, condenou o shopping a pagar indenização de R$ 200 mil a cada um dos pais da vítima: Juopais e Tereza Maria Zeimates. Ambos receberão ainda pensão de três salários mínimos, por danos morais a contar da data do crime até à época em que a vítima completaria 65 anos de idade.A ação indenizatória foi proposta contra o shopping e contra a empresa responsável pelo cinema, Grupo Internacional Cinematográfico Ltda. Em sua decisão, o juiz Paulo Henrique decidiu que a empresa não pode ser responsabilizada pelos fatos, mas unicamente o Shopping Morumbi que tem por obrigação zelar pela integridade física de seus freqüentadores. Meira testou a metralhadora no banheiro do cinema, atingindo o espelho. Assim mesmo, nada foi feito para detê-lo. Ele entrou armado na sala e descarregou a arma sobre os espectadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.