Shopping traz educação de trânsito a seu estacionamento em SP

Após pequenos acidentes internos, shopping de Ribeirão Preto lança campanha educativa para seus clientes

Brás Henrique, de O Estado de S. Paulo,

19 de fevereiro de 2008 | 15h50

Após vários pequenos acidentes internos, pelo desrespeito às regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o Ribeirão Shopping, em Ribeirão Preto, iniciou neste mês uma campanha para educar os seus clientes que buscam uma das mais de 3.700 vagas de seu estacionamento.   Estacionar onde não é permitido, trafegar na contramão, não sinalizar, desrespeitar a velocidade máxima permitida nas vias internas são as principais irregularidades encontradas.   Por isso, os motoristas infratores recebem notificações, simulando as multas. São panfletos amarelos, com um grande carimbo vermelho, avisando que ali o motorista poderia ser multado, fixados apenas nos veículos que desrespeitam as regras.   "Foi uma forma criativa, mais pelo lado do marketing, para conscientizar as pessoas de que devem respeitar as vagas reservadas aos deficientes físicos, idosos, e evitar pequenas colisões em manobras irregulares ou forçadas por estacionamentos em locais inadequados", diz o gerente de marketing do shopping, Cleiton Martins.   "Isso visa melhorar o tráfego interno, e é uma campanha simpática, de alerta, pois as regras de trânsito devem ser respeitadas em estacionamentos, públicos ou privados, e até em condomínios", comenta Martins.   Foram confeccionados 5 mil panfletos, que são fixados pelos próprios seguranças de tráfego do shopping nos pára-brisas dos carros que estão infringindo as regras de trânsito.   "Essa campanha não tem fim, mas esperamos diminuir bem essas irregularidades", informa Martins, explicando que não há uma estatística sobre as infrações no estacionamento do shopping. "Nunca contamos isso".   A direção do shopping contatou a Polícia Militar e a Transerp - órgão municipal que fiscaliza o trânsito - sobre as regras que deveriam ser respeitadas pelos motoristas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.