Sigilo nas investigações da morte do executivo da Shell

Continua cercado de mistério o assassinato do executivo da Shell Zera Todd Staheli. A polícia ainda não tem suspeitos nem sabe de que forma e com que instrumentos o americano e sua mulher, Michelle, foram agredidos. Michelle será submetida a novos exames no Hospital Copa D?Or, na zona sul carioca, onde está internada em estado grave, com traumatismo craniano. O executivo Zera Todd Staheli, informa a Agência Brasil estava agonizante quando foi encontrado, ao lado da mulher no quarto do casal, por um de seus quatro filhos, na manhã deste domingo. Segundo a polícia, a casa, em um condomínio na Barra da Tijuca, zona oeste carioca, não apresentava sinais de arrombamento. Está prevista, para hoje à tarde, uma perícia complementar na residência. A polícia ainda não tem suspeitos nem sabe de que forma e com que instrumentos o americano e sua mulher, Michelle, que está internado em estado grave, foram agredidos. Essa manhã a polícia ouviu a empregada da família. Bombeiros estão fazendo buscas na Lagoa da Tijuca, que fica atrás do condomínio, onde o casal vivia, com o objetivo de procurar o instrumento usado para atacar os americanos.O secretário de Segurança Pública, Anthony Garotinho, proibiu a divulgação de informações sobre o caso até pelo delegado Marcos Henrique Alves. Os jornalistas não conseguem entrar nem mesmo na delegacia da Barra da Tijuca, que está investigando o caso junto com a Delegacia de Homicídios. Um policial civil está em frente à delegacia impedindo a entrada de repórteres, fotógrafos e cinegrafistas. Mais cedo, a fotógrafa Ana Carolina Fernandes, da Folha de S. Paulo, foi detida pelo delegado Alves por tentar fotografar a empregada, que saía da delegacia. A Secretaria de Segurança já sabe do caso e informou que está providenciando a liberação da fotógrafa. O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, disse que a Polícia Federal não vai entrar no caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.