Sindicalista do transporte de SP recebe ameaça de morte

Mais um sindicalista do setor de transporte coletivo de São Paulo recebeu ameaça de morte. O homem é funcionário da cooperativa na qual trabalhava Paulo Gonçalves, que foi morto com cinco tiros no último domingo. O cooperado fez um boletim de ocorrência no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Segundo ele, a ameaça foi feita no dia do enterro de Gonçalves. "Ligaram para mim e disseram: e aí trouxa, você é o próximo", afirmou. A polícia pediu autorização judicial para rastrear ligações feitas pelo sindicalista Paulo Gonçalves nos dois celulares que foram apreendidos. Amanhã, deverão ser ouvidos os familiares do sindicalista. Gonçalves era diretor do sindicato, que conta com três cooperativas que transportam 7,5 milhões de passageiros todos os meses. Hoje cedo, um ônibus da cooperativa foi incendiado por três homens usavam em uma Kombi.

Agencia Estado,

22 de outubro de 2003 | 12h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.