Sindicalista é preso com base em mandato da década de 70

O diretor do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), Gualberto Tinoco, foi detido nesta segunda-feira com base em mandado de prisão expedido na década de 70 por agressão e desacato à autoridade.Tinoco compareceu à 1.ª Delegacia Policial (Praça Mauá) para prestar depoimento sobre o cerco ao carro da governadora Rosinha Garotinho, ocorrido na semana passada, em frente à Assembléia Legislativa. O protestofoi promovido por servidores estaduais em greve pelo não-pagamento do 13.º salário. Tinoco saiu da delegacia para a carceragem da Polinter. Caberá à Justiça definir se o mandado ainda é válido. O sindicato classificou a prisão como ?absurda? e argumentou, em nota, que o mandado contra seu diretor se deve à atuação em passeatas contrárias à ditadura militar. ?Trata-se de uma retaliação política à livre mobilização sindical. Isto num dia em que o Rio foi tomado por atentados praticados por traficantes. Ou seja: enquanto os verdadeiros bandidos tomam conta da cidade, um sindicalista é preso por lutar contra a ditadura militar nos anos 70?, afirmou o Sepe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.