Sindicato aceita proposta e greve dos lixeiros pode acabar

Uma assembléia entre os lixeiros ligados ao Siemaco, às 19 horas desta segunda-feira, 16, pode dar fim a greve da categoria. Na ocasião, pretende-se discutir o reajuste salarial de 3,5%, retroativo a 1º de março, proposto pelas empresas à categoria numa reunião no Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (TRT-SP), nesta tarde. A proposta aceita pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Limpeza Urbana de São Paulo, o Siemaco, inclui a estabilidade de 90 dias para os grevistas e o desconto no convênio médico de até 4% - atualmente o desconto é de 2% para cada pessoa. Além disso, definiu-se o prazo de 60 dias para que as empresas e a categoria verifiquem meios para iniciar o uso do protetor solar. Segundo o TRT, as empresas não irão descontar os dias de paralisação dos salários dos lixeiros. O acordo determina ainda que as empresas não poderão contratar mão-de-obra por terceiros e cooperativas. O TRT deve ser informado quanto à decisão final da categoria até as 11 horas de terça-feira.

Agencia Estado,

16 Abril 2007 | 17h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.