Sindicato da Air France convoca para troca de instrumentos

Até a substituição de monitores de velocidade e altitude, modelos Airbus A330s e A340s devem ser rejeitados

Associated Press

09 de junho de 2009 | 05h16

O Sindicato dos pilotos da Air France convocou os pilotos na segunda-feira, 8, para rejeitar os modelos Airbus A330s e A340s até que os seus monitores externos de velocidade e altitude sejam substituídos.

  

Veja também:

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

linkParentes das vítimas do Voo 477 são transferidos de hotel

video Vídeo: Operação de resgate

som Ouça a coletiva desta segunda-feira sobre o resgate dos 16 corpos

especialEspecial: Os desaparecidos do voo 447

especial Especial: Passo a passo do voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

blog Blog: histórias de quem quase embarcou

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo

 

Os instrumentos, conhecidos como tubos de Pitot, receberam atenção na investigação do acidente do Voo 447 da Air France. A Air France disse que os monitores congelaram em altitude elevada, o que ocasionou o defeito na transmissão de informações.

  

Um comunicado interno da Air France para os pilotos obtido pela Associated Press pede urgência na troca para os modelos A330s e A340s até que pelo menos dois dos três sensores Pitot nos aviões sejam substituídos. O documento foi enviado para o Sindicato Alter, que representa cerca de 12% dos pilotos da Air France.

 

O Sindicato Alter disse em no documento que uma enxurrada de mensagens automáticas foi enviada pelo avião antes do acidente, a primeira indicava uma falha ou parada por código que se refere aos Tubos de Pitot.

 

"A direção da Air France convocou os sindicatos de pilotos na noite da segunda-feira para lhes informar o estado de substituição dos tubos de Pitot e lhes apresentou um calendário", confirmou o porta-voz do sindicato majoritário de pilotos na companhia aérea francesa, Erick Derivery, à France Press.

 

Ainda não está claro como os tubos de Pitot operaram durante o acidente do Voo 447.

 

O Sindicato afirmou no comunicado que todas as aeronaves A330 e A340 devem não devem operar até a substituição, e advertiu para "um risco real de perda de controle" nesses modelos de Airbus acometidos por problemas nos Tubos de Pitot.

 

Feitos de metal, os tubos de Pitot, estão na asa ou fuselagem do avião e devem prevenir o congelamento. A pressão do ar entra nos tubos de acordo como a velocidade é medida pelos sensores e com o ângulo do voo.

 

Um congelamento, bloqueio ou mal funcionamento do tubo de Pitot pode causar uma falha no sensor de velocidade do ar, e transmitir ao computador de controle que o avião deve acelerar ou desacelerar em um caminho potencialmente perigoso.

 

Atualizada às 5h45 para acréscimo de informações

 

Tudo o que sabemos sobre:
Voo 447AirbusAir Francevoo 447

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.