Sindicato de controladores de vôo nega plano de greve

O presidente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Proteção ao Vôo, Jorge Botelho, negou nesta quarta-feira, 13 que os controladores de vôo estejam planejando "uma greve-branca, ou operação-padrão" para as vésperas do período de feriados de final do ano.Botelho, que participa de audiência pública conjunta das comissões de Defesa do Consumidor e de Defesa Nacional, na Câmara dos Deputados, afirmou que, nessa época do ano, "poderá haver um acúmulo de tráfego aéreo", por causa do aumento de viagens de turismo e de férias, mas explicou que isso é um situação habitual nessa época do ano. "Não há qualquer planejamento de nós, controladores, para fazer uma greve-branca, ou qualquer outra atitude que prejudique a aviação", disse o presidente do sindicato dos controladores. Acrescentou que a categoria reivindica uma reestruturação completa do sistema de controle de tráfego aéreo no País e, nesse contexto, os profissionais querem a criação de uma carreira. "Quero deixar claro que, em nenhum momento, nossas atitudes, confundidas com uma operação-padrão, tiveram o objetivo de prejudicar a aviação, ou os passageiros", afirmou. Ele enfatizou que a estratégia de observação de espaçamento entre aeronaves foi adotada como medida de segurança.Segundo Botelho, não adianta apenas uma ação isolada de melhorar a remuneração dos controladores sem modificação das condições de trabalho. "Os problemas que estamos vendo na nossa categoria já aconteciam muito antes do trágico acidente com o Boeing da Gol, mas este acidente foi para nós um divisor de águas", disse Botelho, referindo-se ao acidente aéreo em que 154 pessoas morreram no dia 29 de setembro, na selva amazônica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.