"Sindicato dos Motoristas recebe propina para fazer greve"

Um ex-diretor do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de São Paulo garante que a atual diretoria recebe propina dos empresários de ônibus para paralisar o serviço de transporte coletivo da cidade. Outro sindicalista vai fazer novas denúncias ao Ministério Público Estadual (MPE) contra o presidente do sindicato, Edivaldo Santiago, ainda nesta semana.O ex-diretor Marcos Antônio Coutinho da Silva chegou a revelar valores cobrados em denúncia à Rede Globo, nesta segunda-feira. "Se for greve para reivindicação de salário, vai de R$ 800 mil a R$ 1,5 milhão", acusou Silva. O sindicalista, que será ouvido pelo MPE, acusa Edivaldo de manter influência política e operacional sobre outros sindicatos ligados ao transporte.Alguns diretores são acusados de receber até R$ 3 mil das garagens onde atuavam como "ajuda de custo".O novo denunciante - que tem o nome mantido em sigilo - será ouvido pelo promotor José Carlos Blat, do Grupo de Atuação e Repressão ao Crime Organizado (Gaeco). O Estado apurou que esse denunciante gravou um vídeo com as acusações que vai levar ao MPE."O Ministério Público investiga uma relação entre o sindicato e outros sindicatos ligados ao transporte", disse Blat. "Ainda é prematuro fazer qualquer tipo de acusação. Vamos continuar investigando."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.