Síndico mata condomínio e é condenado a 12 anos de prisão

Ex-síndico é acusado de ter disparado contra morador, em fevereiro de 1999

12 de julho de 2007 | 09h04

O ex-síndico Selsino Gonçalvez Souto, acusado de matar a tiros o professor José Marques de Souza, foi condenado a 12 anos de prisão, com direito a recorrer da sentença em liberdade. O julgamento terminou na noite de quarta-feira, 11, no Fórum Criminal Ministro Mário Guimarães, na Barra Funda, na zona oeste de São Paulo, segundo informações da TV Globo. Souto é acusado pelo assassinato do professor, em 23 de fevereiro de 1999. O crime teria sido motivado por uma discussão sobre contas relativas ao condomínio. A discussão aconteceu no hall do 5º andar do Edifício Residencial Recanto dos Pássaros, no Jardim Bonfiglioli, também na região oeste da cidade.O circuito interno de TV do prédio registrou tudo. Minutos antes do professor chegar ao prédio, o síndico subiu até o 5º andar, onde o professor morava, e esperou pela vítima. No momento em que saiu do elevador, Souza foi surpreendido pelo assassino, que disparou três vezes à queima roupa. O julgamento foi presidido pelo juiz Cassiano Ricardo Zorzi Rocha, do 5º Tribunal do Júri. O ex-síndico foi considerado culpado por homicídio duplamente qualificado - por motivo fútil e sem chance de defesa da vítima. Para evitar a imprensa, o condenado, após o veredicto, retardou sua saída do Fórum, e, quando o fez, saiu a pé.Maria Leda, a viúva do professor, compareceu ao Fórum e acompanhou o julgamento. "O mais justo seria se ele já saísse daqui algemado, mas fiquei contente com o resultado", disse Leda.

Tudo o que sabemos sobre:
assassinatojulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.