''Sinto um isolamento dentro do partido''

Ricardo Montoro, EX-DEPUTADO ESTADUAL E EX-VEREADOR

André Mascarenhas, estado.com.br, O Estado de S.Paulo

28 Abril 2011 | 00h00

Filho do governador Franco Montoro (morto em 1999), o ex-deputado estadual Ricardo Montoro admite estar insatisfeito com o rumo tomado pelo novo diretório municipal em São Paulo, pivô da atual crise.

Que fatores levam o sr. a considerar deixar o PSDB?

Estou sentindo um isolamento dentro do partido. Fui vereador, deputado, secretário, e o partido me deu as costas.

O sr. concorda com a avaliação de que Alckmin é o responsável pelas defecções?

Eu não chegaria a nomear o governador. É um movimento que tem origem na eleição municipal de 2008, que o Kassab ganhou e o Geraldo perdeu. Essa é origem.

O que o sr. vai levar em conta para decidir?

Eu vou conversar com muita gente. O que eu quero deixar bem claro é que eu admito a possibilidade de sair. Mas eu ainda não saí e não tomei essa decisão. É um momento difícil e o que critico agora é essa falta de senso democrático que está tomando conta do partido.

Que avaliação o sr. faz da condução do partido pelo novo diretório municipal?

Está havendo um isolamento de um grupo. A saída de seis vereadores deveria ser profundamente lamentada por todo mundo. E não é. Parece que o pessoal acha que é isso mesmo. A saída de uma figura como o Walter Feldman, que é fundador do PSDB, e que tanto serviço prestou ao partido, deveria ser lamentada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.