SIP prepara encontro em São Paulo

Entidade de imprensa pretende trazer à cidade, em 2012, até 600 delegados de jornais das três Américas

Moacir Assunção, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2010 | 00h00

Panorama. 'É preciso que o mundo inteiro saiba o que está ocorrendo no Brasil', diz Muñoz            

 

 

 

 

O Grupo Estado e alguns dos principais órgãos de comunicação do País vão integrar o comitê organizador da Assembleia Anual da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP na sigla em espanhol). O evento deverá trazer de 500 a 600 delegados de jornais das três Américas ao Brasil em outubro de 2012.

A primeira reunião para discussões e início do planejamento para o encontro ocorreu ontem em São Paulo, no Hotel Hilton Morumbi, e contou com uma apresentação da entidade por parte de seu presidente, o chileno Julio Muñoz, ao lado do diretor-presidente do Estado, Silvio Genesini. Participaram representantes do jornal Folha de S. Paulo, da Rede Globo, da Editora Abril, da Tribuna de Santos e da Rede Anhanguera de Comunicação de Campinas.

A SIP, que tem sede em Miami (EUA) reune 1,3 mil jornais de todo o continente e luta pela liberdade de imprensa e expressão, temas centrais de seu ideário. Durante a reunião de ontem, Genesini destacou a importância do envolvimento imediato de todos na organização. "Embora dois anos pareça um tempo razoável, é necessário que comecemos já a definir como será o evento, para garantir que ele seja um sucesso", disse.

Em geral, o evento se estende por uma média de cinco dias e discute questões relacionadas à liberdade de imprensa, novas tecnologias para o meio impresso e atividades culturais, além de temas políticos e econômicos. Tradicionalmente, as assembleias são abertas pelos presidentes dos países-sede.

Organização. O evento é custeado mediante patrocínios, geralmente obtidos graças ao prestígio das empresas que integram a SIP. A entidade entra com a organização do encontro em suas partes temáticas e as empresas sócias com a estrutura local, o apoio para acomodação dos delegados e atividades culturais para os participantes. Na parte de discussões, são feitos painéis e seminários com temas que dizem respeito à atividade do jornalismo. A última vez que o evento ocorreu no Brasil foi em São Paulo, em 1991. As próximas reuniões da SIP, entre assembleias e encontros de meio de ano, serão em San Diego (EUA), Mérida (México), Buenos Aires (Argentina) e Lima (Peru).

Segundo o presidente da SIP, a realização do evento de 2012 no Brasil está relacionada à crescente importância da imprensa brasileira na América e no mundo. "Em todos os países, até mesmo nos Estados Unidos, a imprensa escrita tem perdido espaço para a internet. Há casos até de jornais fechando suas portas. No Brasil, o panorama, muito animador, é exatamente contrário", observou Muñoz.

Cenário. De acordo com ele, no País, a circulação e o faturamento dos jornais têm aumentado, ao contrário do que ocorre no resto do mundo. "Somente o Brasil e a Índia apresentam esse panorama, de jornais crescendo, e são casos de imprensa ascendente. É preciso que o mundo inteiro saiba o que está ocorrendo no Brasil e a assembleia anual da SIP será uma ótima oportunidade para que todos os países conheçam essa realidade brasileira", afirmou ele.

Na segunda quinzena de setembro haverá outra reunião, da qual o presidente da SIP também deve participar. Nela serão definidos detalhes como o hotel que receberá o evento, as primeiras empresas que devem patrocinar a assembleia e outros temas relacionados à estrutura da reunião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.