Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Sistema do Cindacta-1 é restabelecido após quatro horas

Rompimento de cabos em SP e MG deixou comunicação aérea totalmente fora do ar por cerca de 30 minutos

Tânia Monteiro, Maíra Teixeira e Gustavo Porto,

01 de setembro de 2009 | 17h37

Rompimento de dois cabos de fibra ótica da Embratel tiraram do ar várias frequências de rádio usadas pelo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta-1) para controlar o espaço aéreo brasileiro e levaram a suspensão de vários voos na manhã desta terça-feira, 1, entre Brasília e São Paulo. O defeito foi detectado às 11h15 quando controladores de voo perderam contato com aeronaves e tiveram de buscar frequências de comunicações alternativas. O sistema foi restabelecido às 15h15. Durante cerca de meia hora, a comunicação foi totalmente afetada.

 

Para evitar problemas de segurança, a Aeronáutica suspendeu, então, todos os voos entre São Paulo e Brasília. Agora, o Centro de Gerenciamento e Navegação Aérea e as companhias aéreas estão restabelecendo os voos e promovendo as alterações e redirecionamentos necessários. Uma fonte do Comando da Aeronáutica informou que o motivo da pane foi o rompimento de cabos nas regiões entre Barretos e Ribeirão Preto, em São Paulo, e Sete Lagoas e Confins, em Minas Gerais. O Cindacta-1 controla 45% do tráfego aéreo do País.

 

A Embratel informou que a rede principal afetada, em Sertãozinho (SP), foi rompida por uma escavadeira da prefeitura local. Já o rompimento da rede auxiliar, em Sete Lagoas, foi feito por um caminhão nas obras de duplicação de uma rodovia. A empresa não informou quantos clientes foram atingidos pelo rompimento dos cabos.

 

No início desta noite, nove voos estavam atrasados na região controlada pelo Cindacta-1, segundo a Infraero. De acordo com a estatal, estão atrasados cinco voos em São Paulo (um em Congonhas, quatro em Cumbica), três voos em Belo Horizonte (dois no Pampulha e um no Tancredo Neves) e um atraso em Brasília.

 

A seguir, a íntegra da nota da Aeronáutica:

 

"Entre 11h15 e 11h42 do dia de hoje, 1º de setembro de 2009, canais de comunicações (frequências-rádio) do Centro de Controle da Área de Brasília (ACC-BR) foram degradados em virtude do rompimento de dois cabos de fibra ótica da EMBRATEL, localizados entre as cidades de Barretos e Ribeirão Preto (SP), e entre as cidades de Sete Lagoas e Confins (MG). Com o objetivo de se preservar a segurança da atividade aérea, todas as decolagens da área compreendida entre Brasília e São Paulo foram suspensas nesse período.

 

Contando com o apoio de técnicos da Aeronáutica, o problema foi sanado pela Concessionária de Telecomunicações responsável por volta das 15h e às 15h15 as frequências foram restabelecidas no ACC-BR. Limitadas por esse problema, as decolagens foram sequenciadas de acordo com um planejamento conjunto e colaborativo entre o CGNA (Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea), Empresas Aéreas e INFRAERO, de forma a evitar maiores congestionamentos e mitigar atrasos.

 

Até 13h50, as duas maiores companhias aéreas do Brasil, TAM e GOL, registravam atrasos acima de 30 minutos em 6% e 8% dos voos, respectivamente.

 

Brasília, 1º de setembro de 2009.

Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez

Chefe do CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA AERONÁUTICA"

 

Atualizado às 18h27 para acréscimo de informações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.