Site acusado de promover turismo sexual é retirado do ar

O site da agência de turismo americana Tours Gone Wild (TGW), que vêm sendo investigada pelo Ministério do Turismo por supostamente promover o turismo sexual, foi retirado do ar nesta quarta-feira em cumprimento à determinação da 29ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio. A ação é movida por uma estudante que teve sua foto usada para promover a venda de pacotes que prometiam "noites quentes". Aline Alves Rajão, 20 anos, estudante de engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), soube na semana passada que uma foto sua tirada numa boate estava sendo utilizada no site da agência. Segundo sua advogada, Renata Chiavegatto, ela viu quando a foto foi tirada, mas imaginou que fosse para algum site de eventos ou da própria boate. Aline foi avisada por um amigo que sua foto estava sendo usada para vender "noites quentes" e "diversão ilimitada" no Rio de Janeiro. O juiz Oswaldo Henrique Freixinho expediu na segunda-feira um mandado de intimação à sete provedores de internet (Embratel, UOL, Global Crossing, Telesp e Telecom Itália), determinando que o site da TGW fosse retirado do ar em 24 horas, sob pena de multa diária de R$ 50 mil. A estudante não quis dar entrevistas, alegando já ter tido seu nome completo e imagem expostas além do que gostaria. "Ela teve que dar explicações aos pais e amigos, por isso eu a orientei a não falar com a imprensa e estou pedindo segredo de Justiça no processo", disse Chiavegatto. A advogada não descarta entrar com um pedido de indenização por danos morais, dessa vez na Justiça norte-americana, através do escritório de advocacia em Nova York. "Aqui os juízes são muito tímidos nos valores e, como a empresa é americana, a decisão seria mais demorada", disse. No mês passado, o jornal inglês The Guardian publicou uma reportagem em que denunciava a TGW por incentivar o turismo sexual de soldados iraquianos ao Brasil. "Depois de passar o pior ano da minha vida no Iraque, viajar para o Rio com a TGW foi a melhor férias que eu já tive", disse o soldado do Exército americano Kirk B., de 25 anos, no site da empresa. A imagem da estudante Aline foi exibida numa página dedicada a brasileiras e brasileiros "quentes". Além dela, havia fotos de modelos e artistas famosos, como as atrizes Joana Balaguer, a apresentadora Lívia Lemos e ex-integrantes do programa da TV Globo Big Brother Brasil. O Estado tentou falar com os sócios da empresa, Arturo Perchemliam e Santiago Mejía, mas eles não retornaram às ligações.

Agencia Estado,

07 Fevereiro 2007 | 19h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.