Situação de desabrigados no PR começa a ser regularizada

Cerca de 200 pessoas chegaram a ficar desalojadas em Paranaguá; não há informações sobre mortes

Equipe AE,

23 de novembro de 2008 | 16h20

As fortes chuvas que atingiram Santa Catarina - e já deixaram mais de 7 mil desabrigados - também castigaram o litoral do Paraná neste final de semana. As tempestades deixaram cerca de 200 pessoas desabrigadas, informou o chefe da Casa Militar do governo do Estado, coronel Washington Rosa. No início da noite, a situação começou a ser normalizada e apenas 33 famílias continuavam desalojadas na cidade litorânea de Paranaguá.    Veja também: Com 14 mortos, Santa Catarina pede ajuda a Estados vizinhos Explosão de gás abre cratera e interdita BR-470 em SC Temporais devem atingir 16 estados e o DF até 2ª feira   Segundo Rosa, foram registrados 45 pontos de alagamentos em Paranaguá e em praticamente todo o Balneário de Pontal do Sul e Guaratuba. Também há o registro de 41 quedas de árvores e 3 desabamentos de residências. "A cidade de Paranaguá está sem água tratada, mas o abastecimento deve retornar às 17 horas", disse o coronel ao site do governo.      Segundo o secretário municipal de Segurança e Coordenador da Defesa Civil de Paranaguá, Coronel João Jayme Cabral, os maiores problemas agora estão nas colônias Maria Luiza, que teve sua área inundada e Santa Cruz, onde caiu uma ponte e a população está ilhada. "Vamos restabelecer a comunicação, restabelecer a energia e fazer uma cobertura logística na região", disse.   Não há confirmação de vítimas fatais, mas uma pessoa está desaparecida após soterramento de um estabelecimento comercial em Guaratuba. O acidente ocorreu na altura do quilômetro 684 da BR-376 e, no momento, bombeiros do Paraná e de Santa Catarina trabalham no local. Esse trecho da rodovia está parcialmente interditado.   Também há outros dois registros de interdição parcial da BR-376 sentido Sul, nos km 140 (próximo a Itajaí) e 235 (Palhoça). Segundo informações da Policia Rodoviária Federal, existem 6 pontos de deslizamentos de terra na pista. As recomendações são para que as pessoas não viajem pela BR-376 até que a situação seja normalizada, porque começa a faltar água e comida nos restaurantes, bares e lojas de conveniência a margem da rodovia. Um caminho alternativo para Florianópolis e Joinville é a BR-116, via Lajes, mas esse desvio aumentaria o percurso em mais de 190 quilômetros.   Espírito Santo   O Espírito Santo também sofreu com tempestades neste fim de semana. A chuva provocou danos em Vitória e na cidade vizinha de Vila Velha. Houve deslizamentos e alagamentos em ruas e rodovias por causa da chuva da madrugada de domingo. Apesar de dezenas de famílias desabrigadas com a interdição de casas em áreas de risco, não houve mortos ou feridos.   Em Serra, também na região metropolitana de Vitória, dois homens morreram afogados na Lagoa Juara. Quatro pessoas pescavam num pequeno barco no meio da lagoa quando foram surpreendidos pelo forte temporal da tarde de sábado. Ao tentarem voltar para a margem, eles se desequilibraram e o barco virou. Apenas dois deles conseguiram chegar à margem nadando. No Rio, chove moderadamente desde sexta-feira, mas não há registros de danos ou vítimas pela Defesa Civil estadual. Também não houve alagamentos na cidade como os registrados na última segunda-feira.   Previsão   As Defesas Civis de 16 estados e do Distrito Federal foram alertadas pela Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, por causa da possível ocorrência de chuvas fortes. De acordo com a Sedec, até a próxima segunda-feira os temporais devem atingir os estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Acre, Bahia, Tocantins, Rondônia, Pará, Piauí, Maranhão, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Mato Grosso, Amazonas, Goiás e Distrito Federal. Em alguns momentos, as chuvas devem ser acompanhadas por raios. (Com Júlio Castro, de O Estado de S.Paulo)   Atualizado às 19h35 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
Paranáchuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.