Situação é tranqüila em presídio de Guarulhos

Francisco Salvador, diretor do presídio Adriano Marrey, localizado no quilômetro 13,5 da Rodovia Presidente Dutra, em Guarulhos, está reunido neste momento com a comissão da Secretaria de Administração Penitenciária em São Paulo. "A situação está tranqüila, as pessoas estão nas celas porque querem e porque temem represália da polícia, que por sua vez, não age à noite", de acordo com informações do tenente-coronel Cid. O número total de detentos no Presídio Adriano Marrey é de 1.200. Há pelo menos 300 reféns, entre familiares e amigos. Segundo os policiais, o fim da rebelião no presídio Adriano Marrey depende do Complexo do Carandiru, que é o foco principal das rebeliões.A rebelião, a maior do sistema carcerário no País, atingiu 24 presídios e foi comandada pelo Primeiro Comando da Capital (PCC), por meio de telefones celulares com internos de outras unidades. Além da Penitenciária do Estado e da Casa de Detenção no Complexo do Carandiru, continuam rebelados os detentos de Tremembé, Itirapina, Franco da Rocha, Guarulhos 2, Araraquara e também Avaré. Esta informação é do major Maria, assessor de imprensa do Comando Geral da Polícia Militar em SãoPaulo.Oito pessoas morreram ontem, vítimas das rebeliões. No começo desta madrugada, na Casa de Detenção, um outro corpo foi retirado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.