Skinheads atacam cabo da PM na Rua Augusta

Policial foi golpeado com barra de ferro na cabeça, quando tentava deter insultos e ameaças a um homem negro; polícia prendeu 3 dos agressores

Andressa Zanandrea, O Estadao de S.Paulo

09 de junho de 2008 | 00h00

Um grupo de skinheads agrediu um cabo da Polícia Militar com uma barra de ferro, golpes de soco-inglês e pontapés, no começo da madrugada de ontem, na Rua Augusta, região central de São Paulo. À paisana, o policial tentou separar uma briga, na frente de um hotel, entre cinco rapazes e um homem negro com cabelos rastafári, que era ameaçado e ofendido com expressões racistas. Incomodados com a intervenção, os rapazes partiram para o ataque. O PM, cuja identidade não foi revelada, passou por uma cirurgia no rosto e não corre riscos.Três rapazes foram presos.Segundo a polícia, um ciclista que passava pela rua no momento da agressão viu o cabo ser atingido por um golpe de barra de ferro na cabeça. No chão, ele levou pontapés, foi pisoteado e recebeu também golpes de soco-inglês. A testemunha, em seguida, encontrou uma equipe da Força Tática do 7º Batalhão, que se dirigiu ao local. Os agressores foram cercados e dois deles teriam resistido à prisão e ameaçado bater nos policiais. Parte do bando fugiu.Bastante ferido, o cabo foi levado à Santa Casa de Misericórdia, em Santa Cecília. Por causa dos ferimentos, ele precisou passar por uma cirurgia plástica no rosto. Posteriormente, foi transferido para o Hospital da Polícia Militar.Foram presos Cley dos Passos Costa, de 28 anos, Otávio da Silva Duque Pinto, de 25, e Carlos Gustavo Silva Duque Pinto, de 22. Os três detidos foram autuados em flagrante por injúria e tentativa de homicídio no 4º Distrito Policial (Consolação). Com eles, foram apreendidos uma barra de ferro e um soco-inglês, além de símbolos com mensagens racistas. Os detidos devem ser transferidos hoje para um Centro de Detenção Provisória.A polícia ainda espera chegar aos demais envolvidos no ataque. Segundo a PM, pelo menos dez pessoas integravam o grupo, que perambulava pela Rua da Consolação, causando tumulto desde o fim da noite de sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.