Só agora polícia do Rio tem programa para retrato falado

O secretário estadual de Segurança do RJ, Josias Quintal, apresentou nesta sexta-feira o programa de computador Faces, que reduzirá de seis horas para 15 minutos o tempo necessário para a criação de retratos falados. O programa é canadense e custa US$ 1 mil a unidade. Trezentos laptops serão equipados com o novo sistema, em 160 delegacias.Atualmente, o Rio dispõe de apenas dois técnicos capazes de desenhar retratos falados. Mais de 100 policiais civis e militares estão sendo treinados para usar o Faces e até o fim do governo, segundo o secretário, serão dois mil em todo o Estado.Além de produzir os retratos, o Faces tornará disponível as fichas com fotos de bandidos. Será possível também retratar os suspeitos por meio de suas características físicas, como cicatrizes e tatuagens."É um salto. Como se a polícia estivesse com um fusca e passasse a ter uma Ferrari", comparou Quintal. Para o chefe de Polícia Civil, Álvaro Lins, a ferramenta popularizará o uso dos retratos falados, antes restrito a casos de grande repercussão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.