''Só me faltava essa!'', reagiu Dilma ao saber de entrevista

Surpreendida ao saber, na noite de quarta-feira, da bombástica entrevista do ministro da Defesa, Nelson Jobim, à revista Piauí, a presidente Dilma Rousseff não se conteve. "Só me faltava essa!", disse ela, irritada há tempos com Jobim.

Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2011 | 00h00

Àquela altura, Jobim já viajara para Tabatinga (AM) e Dilma queria ler a entrevista "na íntegra" para saber se nenhuma frase havia sido retirada do contexto. "Mas ele falou mesmo que tem trapalhada no governo, que a Ideli é fraquinha e que a Gleisi não conhece Brasília?", perguntou aos auxiliares, numa referência a Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e a Gleisi Hoffmann (Casa Civil).

Diante da resposta positiva, Dilma ordenou: "Me consigam essa entrevista". Na manhã de quinta-feira, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, tentou descontrair o ambiente da reunião matinal com Dilma, Gleisi, Ideli, Helena Chagas (Comunicação Social) e Giles Azevedo, chefe de gabinete. "Vou trazer um Biotônico Fontoura para a Ideli, que está fraquinha, e um GPS para a Gleisi, para ela se localizar ", brincou Carvalho. Até Dilma deu risada. O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), ligou para Ideli bem cedo. "Eu não disse que você era gordinha, como foi publicado; falei que você era fofinha", justificou Sarney.

Foi somente às 12h35 que a entrevista chegou ao gabinete da presidente. Ela ficou furiosa com o que leu. Pouco depois, chamou os mais próximos para um almoço. À mesa com Gleisi, Ideli, Helena e Carvalho, a presidente conversou sobre a "situação insustentável" de Jobim. Até então, não tinha falado com ele ao telefone. Depois do almoço, Dilma ligou e mandou Jobim retornar, juntamente com o vice Michel Temer e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. "Ou você pede para sair ou eu saio com você", disse ela.

Além da indelicadeza das palavras do ministro em relação às mulheres, o que mais contrariou Dilma foi não ter sido alertada pelo próprio sobre as declarações. Os dois tinham se reunido na véspera, quando Jobim praticamente pediu desculpas por ter revelado o voto em José Serra, em 2010. Na semana passada, a presidente estava decidida a demitir Jobim e até já tinha sondado o ex-chanceler Celso Amorim. Dilma ouviu opiniões do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Assessor de Jobim, o ex-deputado José Genoino também esteve com a presidente no Alvorada.Disse que o ministro tinha ótimo relacionamento com as Forças Armadas e ela relevou. Mas ontem não foi assim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.