´Só saio daqui morto´, diz homem que mantém reféns

O comerciante Gilberto Gomes de Lima, de 42 anos, mantém reféns a mulher e a suposta amante desde às 0h30 desta sexta-feira, 27, em um cômodo de uma casa em Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo. Policiais militares da 3ª Companhia do 28º Batalhão e do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) tentam negociar com Lima por telefone. Até as 17 horas, ele negava se entregar e afirmou aos policiais que só sairá do local após matar as duas mulheres e se matar. Por volta das 13h40 foi ouvido um disparo. O comerciante confirmou que o tiro saiu de sua arma, mas que foi acidental.Além da esposa, identificada como Gilvanete, ele também mantém como refém a comerciante Andréia, que estaria grávida de dois meses e seria sua amante. De acordo com a polícia, a amante teria ido à residência de Lima na noite de quinta-feira, 26, onde foi iniciada uma discussão após a chegada do marido de Andréia que teria ido buscá-la no local. Neste momento, Lima deu um tiro pra cima. Depois disso, o marido de Andréia fugiu do local e voltou com os policiais. Mais tiros foram disparados por Lima e, então, ele levou as duas mulheres para o interior da casa. O marido de Andréia acompanha as negociações. Cerca de 200 pessoas acompanham a situação desde a manhã desta sexta. Matéria atualizada às 17h11

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.