Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Sob efeitos das chuvas, favelas no Complexo do Alemão têm dia calmo

Mais 250 policiais se uniram nesta segunda aos 800 homens do Exército que estão no morro; previsão é de o efetivo chegue a 1.600 militares

Pedro Dantas, O Estado de S. Paulo

06 de dezembro de 2010 | 18h21

RIO - Nesta segunda-feira, 6, 250 homens do Batalhão de Campanha da Polícia Militar começaram a atuar no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio. Formado por homens de vários batalhões, o efetivo na região se juntará aos 800 homens da Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército, equipes de policiais civis e de policiais militares que atuam na região. A previsão é que o Exército dobre o efetivo e ocupe o conjunto de favelas com 1.600 militares. O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) continua vasculhando as favelas em busca de armas, drogas e traficantes foragidos.

 

Antes, o 16º Batalhão de Polícia Militar de Olaria, responsável pelo patrulhamento do Alemão e do Complexo da Penha, contava com o efetivo de 615 policiais para patrulhar as favelas e oito bairros. Na zona sul, região turística da cidade, os bairros do Leme e de Copacabana são patrulhados por quase o dobro de policiais do 19º BPM e tem as os dois morros ocupados pela Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

 

Hoje, o dia foi calmo nos conjuntos de favelas, que ainda sofrem com os efeitos da chuva do último domingo. A Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) retirou 555 toneladas de lixo do Complexo do Alemão e da Penha. No meio dos detritos, um gari achou na manhã de ontem uma pistola 765, 900 gramas de maconha, 250 gramas de cocaína e uma pedra de crack.

 

À tarde, a Polícia Civil localizou na Vila Kennedy, na zona oeste do Rio, Fabio Marinho de Lima, apontado como gerente do tráfico no Morro da Fazendinha. Ele estava com R$ 3.250 e acompanhado de um menor, que foi apreendido. Na Vila Cruzeiro, policiais do Bope prenderam Márcio Santos Ventura, de 38 anos, que estava foragido da polícia desde 2005. Condenado por roubo, ele não voltou para a cadeia quando recebeu o benefício visita periódica ao lar. No Complexo do Alemão, policiais civis prenderam em flagrante um homem que agredia a mulher. A Delegacia de Especializada de Atendimento à Mulher montou um posto de atendimento móvel nas favelas e registrou duas queixas por agressão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.