Sob protestos, juíza eleitoral diploma prefeito de Mauá

A juíza eleitoral de Mauá, Ida Inês Del Cid diplomou neste domingo Leonel Damo (PV) como prefeito da cidade, sob protesto de militantes petistas inconformados com a situação do candidato do PT, Márcio Chaves, cujo registro foi cassado pela juíza às vésperas do segundo turno.A cassação do petista foi motivada pela denúncia de que Márcio Chaves havia feito propaganda institucional irregular. Pelas apurações do Ministério Público, Chaves foi beneficiado com uma exposição chamada Túnel do Tempo, que mostrava a história da cidade e realizações da prefeitura, montada para comemorar o aniversário de 50 anos de Mauá. Desde então, começou a briga judicial. Na terça-feira, Márcio Chaves havia conquistado uma vitória no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que determinou a realização de segundo turno na cidade. Mas na quinta-feira, o TSE suspendeu a nova eleição. Na sexta, o TSE rejeitou os recursos interpostos pela defesa petista.Diplomação e protesto Leonel Damo chegou pontualmente à cerimônia de diplomação, porém não pôde entrar na Câmara Municipal pela porta da frente, pois a escadaria estava tomada por petistas. Os militantes exibiam notas de R$ 1 e diziam que a juíza havia sido comprada. Outros portavam nariz de palhaço, apito e levantavam cartazes que pediam a realização do segundo turno.A Polícia Militar e a Civil acompanharam a manifestação que, não fosse um pequeno confronto entre petistas e partidários de Damo, teria sido completamente pacífica. Segundo informações da PM, cerca de 2 mil pessoas se aglomeraram em frente à Câmara.Enquanto as torcidas políticas trocavam farpas e gritos de guerra do lado de fora da Câmara, Damo e os 17 prefeitos eleitos receberam o diploma das mãos da juíza Ida Inês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.