Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Sobe número de mortos pela PM em SP

A Polícia Militar matou durante troca de tiros e perseguições 725 pessoas no Estado em 2002. O número é 22,8% maior do que o registrado no ano anterior, quando ocorreram 590 casos. Os dados estão no primeiro relatório de 2003, divulgado nesta semana pela Ouvidoria da Polícia.O trabalho revelou ainda que apenas do dia 1º a 26 deste mês a PM matou 76 pessoas. Foi o maior número de mortos em janeiro nos últimos três anos.O relatório também engloba a Polícia Civil, que matou 100 pessoas, 13 a menos que em 2001 e 30 a mais que em 2000.As corregedorias das polícias informaram que as mortes ocorreram em perseguições e tiroteios a ladrões, seqüestradores e traficantes. Os casos em que os policiais foram acusados de violência estão sendo investigados.No relatório, o ouvidor Fermino Fecchio aborda a ação da Divisão de Investigações Gerais (DIG) de Campinas, em 1999, numa casa de Sumaré, onde morreram quatro rapazes com idades entre 14 e 21 anos. Os policiais alegaram que os jovens começaram o tiroteio. Mas os garotos morreram e os agentes escaparam ilesos.Apesar de solicitar o relatório de conclusão do caso várias vezes, a ouvidoria só recebeu o documento agora. Para a polícia, não houve abuso e a ação foi legítima. Fecchio fez duras críticas a esse resultado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.