Sobe número de mortos por chuvas no litoral sul do Rio

O número de mortos em decorrência da queda de barreirasprovocada por temporais que assolaram os municípios de Angra dos Reis, no Sul do Estado, e Teresópolis, na Região Serrana, subiu nesta terça-feira com a morte de duas pessoas que estavam internadas em decorrência dos ferimentos causados por deslizamentos de terra. No total, foram 40 vítimas em Angra e 15 em Teresópolis.A vítima de Angra foi Caroline Antunes Bulé, de 13 anos, que estava internada desde o dia 9 na Santa Casa de Angra, depois que um temporal de vários dias desabou sobre a cidade. Com a morte de Caroline, o total de mortos foi de 40. Dezessete pessoas foram internadas no hospital em Teresópolis. Delma Mota, de 36 anos, estava internada no Hospital das Clínicas desde o dia 21, quando duas trombas d´água atingiram a cidade. Ela morreu hoje.Catorze pessoas morreram soterradas, entre elas a enteada de Delma, Roberta Mota, de 16 anos. As chuvas vitimaram ainda outra moradora, que sofreu um infarto, impressionada com a tragédia.Delma e Roberta eram moradoras do Morro do Perpétuo. No local, o mais atingido pelas chuvas, foram treze mortos. Delma morreu na noite de ontem, de infecção generalizada. O corpo foi enterrado ontem. Quatro pessoas ainda permanecem internadas, em estado grave, no Hospital das Clínicas.O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) previu, para os próximos dois dias, condições meteorológicas ?favoráveis? a pancadas de chuva e ventos de rajadas no Estado do Rio de Janeiro, principalmente na Região dos Lagos e na Serra. Segundo o Inmet, a frente fria que vem de São Paulo é considerada fraca, mas em contato com o ar quente provoca chuva forte. A previsão é de que essa massa fria permaneça estacionada até o litoral da Bahia por 48 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.