Governo do Ceará
Governo do Ceará

Sobe para 5 o nº de mortos no desabamento do Edifício Andréa, em Fortaleza

Sete pessoas foram resgatadas com vida dos escombros e outras cinco estão desaparecidas desde a queda do prédio

Felipe Cordeiro, O Estado de S. Paulo, Israel Gomes, Heloisa Vasconcelos e Jackson de Moura, especiais para o Estado

17 de outubro de 2019 | 08h58
Atualizado 17 de outubro de 2019 | 17h21

FORTALEZA - Subiu para cinco o número de mortos após o desabamento de um prédio em Fortaleza na terça-feira, 15. O corpo de um homem foi resgatado dos escombros do Edifício Andréa na manhã desta quinta-feira, 17. A Perícia Forense do Estado do Ceará (Peroce) identificou a vítima como Antônio Gildasio Holanda, de 60 anos.

Já no início da tarde, o Corpo de Bombeiros do Ceará confirmou o quinto óbito. A vítima é uma mulher ainda não foi identificada. O corpo foi encaminhado para a Peroce. Das cinco vítimas que morreram, uma está em local de difícil acesso e ainda permanece sobre os escombros da estrutura.

Na noite desta quarta-feira, 16, o Corpo de Bombeiros do escutou uma voz, que poderia ser de uma pessoa sob os entulhos do prédio. As buscas nesta quinta, auxiliadas por cães farejadores, estão focadas para localizar essa vítima em um ponto onde as equipes de resgate já estavam atuando.

"O que nos leva a crer que é um possível desaparecido com vida, já que a hipótese é reforçada por um cão farejador que também tinha sinalizado aquele ponto", afirmou o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Luís Eduardo Holanda.

 

Na tarde desta quarta, foi sepultado, em um cemitério da região metropolitana de Fortaleza, o corpo de Frederick Santana dos Santos, de 30 anos, a primeira morte confirmada pelas autoridades. Ele trabalhava em um mercadinho que funcionava ao lado do prédio e foi atingido pelos escombros durante o desabamento. 

Também nesta quarta, foi retirado dos escombros o corpo de Izaura Marques Menezes, de 82 anos, e localizado o corpo de outra mulher, que segue soterrada e sem identificação até o momento.

"Vamos ter que usar maquinário pesado para resgatar o corpo, que está localizado há oito metros abaixo dos escombros, tem pelo menos três lajes de alta tonelagem acima da vítima", explicou Holanda.

O Corpo de Bombeiros ressaltou que dispõe de todos os materiais necessários para fazer os resgates. O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), autorizou a aquisição de equipamentos emergenciais, caso seja necessário. O alerta da corporação veio após o compartilhamento de mensagens nas redes sociais que pediam doação de materiais para auxílio no trabalho dos profissionais.

Resgates

A situação de saúde das vítimas resgatadas com vida do desabamento do Edifício Andrea, em Fortaleza, que ocorreu na última terça-feira é estável. Desde o dia da tragédia, sete pessoas foram resgatadas. Dos resgatados, três já tiveram alta. A situação de uma das pacientes não foi divulgada pela família.

Fernando Marques, de 20 anos, foi o primeiro resgatado e teve alta ainda na terça-feira. João Ícaro Coelho, de 35 anos, também foi liberado no mesmo dia. Davi Sampaio, de 22 anos, que ficou conhecido após tirar selfie debaixo dos escombros, foi liberado na quarta-feira.

Duas vítimas seguem internadas no Instituto José Frota (IJF). Gilson Moreira, de 58 anos, teve fraturas nas duas pernas e está na sala de recuperação após passar, na quarta, por sua segunda cirurgia. O paciente passará ainda por outra cirurgia, sem previsão de data, para retirar o fixador externo que foi colocado para dar estabilidade ao membro. Cleide Maria da Cruz, de 60 anos, está internada na enfermaria e apresenta boa evolução clínica. Ainda não há previsão de alta para nenhum dos dois. 

Francisco Rodrigues Alves, de 59 anos, seria transferido para o IJF mas foi encaminhado para o hospital Zilda Arnes, onde apresenta quadro estável. Antônia Peixoto, de 72 anos, foi atendida inicialmente pelo IJF e tinha situação complicada, com trauma craniano e torácico. Ela foi transferida para o hospital Otoclínica, da rede particular, e seus familiares não autorizaram divulgar o seu estado de saúde.

A superintendente do IJF, Riane Azevedo, afirma que unidade está preparada para receber novas vítimas que possam ser resgatadas com vida. As buscas seguem pelo terceiro dia consecutivo e cinco pessoas ainda estão desaparecidas.

Cinco desaparecidos

Cinco pessoas ainda estão desaparecidas. Os trabalhos das equipes de resgate seguem de forma ininterrupta. As guarnições do Corpo de Bombeiros atuam com equipes de resgate especializadas em estruturas que sofreram colapso e cinco cães farejadores, além de diversos equipamentos, incluindo drones.     

So 125 homens dos bombeiros se revezando nos trabalhos que ocorrem 24 horas por dia. A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), com 50 profissionais, e a Polícia Civil (PCCE), com cinco agentes, também integram os trabalhos. Por sua vez, o Exército Brasileiro enviou um efetivo de 15 homens. 

Um inquérito policial foi aberto no 4º Distrito Policial, no bairro Pio XII, em Fortaleza, para apurar as circunstâncias do desabamento. 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Ceará, testemunhas já foram ouvidas e as investigações estão em andamento.

Veja quem são os mortos no desabamento do Edifício Andréa, em Fortaleza

  • Frederick Santana dos Santos, de 30 anos
  • Izaura Marques Menezes, de 82 anos
  • Antônio Gildasio Holanda, de 60 anos
  • uma mulher não identificada
  • uma mulher não identificada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.