Sobe para 120 número de mortos no Rio

Secretaria Estadual de Saúde e Defesa Civil informou que está realizando um novo balanço de desabrigados, desalojados e desaparecidos

estadão.com.br

07 de abril de 2010 | 13h01

 

SÃO PAULO - O número de mortes causadas pelas chuvas dos últimos dias no Rio de Janeiro subiu para 120, segundo balanço do Corpo de Bombeiros, divulgado no começo da tarde desta quarta-feira, 7.

Balanço divulgado às 16h informa que foram registradas 44 vítimas na capital fluminense, 60 em Niterói, 12 em São Gonçalo, uma em Magé, uma em Nilópolis, uma em Petrópolis e uma em Paulo de Frontin.

 

A Secretaria Estadual de Saúde e Defesa Civil informou que está realizando um novo balanço de desabrigados, desalojados e desaparecidos. Os números devem ser divulgados nas próximas horas.

 

Veja também:

link Distribuição de energia elétrica fica comprometida

link Prefeitura do Rio faz drenagens em bolsões de água na cidade

link Princípio de incêndio tira do ar telefone 192 o Samu

link Lula coloca Marinha e Aeronáutica à disposição do governo do Rio

link Enchente no Rio está entre as mais fatais nos últimos 12 meses no mundo

mais imagens Olhar Sobre o Mundo: Drama no Rio, em imagens

especial Especial mostra áreas afetadas pela tragédia

som Tenente dos Bombeiros fala sobre resgates

 

Em entrevista coletiva dada pouco antes das 6 horas da manhã desta quarta-feira, 7, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), afirmou que a situação na cidade, após uma terça-feira caótica, já é bem melhor, mas enfatizou que "hoje será um dia de muitas restrições em relação ao deslocamento das pessoas".

 

O prefeito disse que não houve novos registros de deslizamentos nesta madrugada, mas que os morros seguem muito encharcados e há ainda risco de novas quedas de barreiras. Paes pediu aos cariocas que só se desloquem de suas casas para outros lugares caso seja realmente essencial, por exemplo, quem tem que trabalhar.

 

Atenção

 

O município permanecia em estado de atenção no começo da tarde desta quarta-feira, 7, por conta da previsão de chuvas que devem cair na cidade ao longo da semana, segundo informou a Defesa Civil. Há possibilidades de escorregamentos em várias regiões da cidade, por isso a Defesa Civil pede para as pessoas que moram nestas áreas procurarem um local seguro, como casa de parentes ou abrigos da Prefeitura.

 

Desde às 17h de segunda, 5, até às 12h desta quarta-feira, 7, a Defesa Civil recebeu 806 ocorrências, sendo a maior parte devido a desabamentos de imóveis, rachaduras, deslizamentos de barreiras e quedas de muros. As ocorrências ocorreram em todas as regiões e 1.778 pessoas estão desabrigadas.

 

(Reportagem de Bruno Boghossian, Ricardo Valota e Solange Spigliatti)

 

 

Notícia atualizada às 17h40.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.