Sobe para 13 o número de mortos pelas chuvas em Alagoas

Governador decreta Estado de Calamidade Pública em Alagoas. Vários pontos estão alagados e ainda existem vítimas ilhadas

Rita Cirne, do estadão.com.br

20 de junho de 2010 | 10h00

Destruição. Inúmeras áreas de Pernambuco também foram afetadas pela chuva. Na foto, o que sobrou do Viaduto Lucia Paiva, na cidade de Palmares.

 

 

SÃO PAULO - Já são 13 os mortos vítimas das fortes chuvas que caem em Alagoas. De acordo com a Defesa Civil do Estado, 53.123 mil pessoas estão desabrigadas e seis continuam desaparecidas. Estima-se que 15.540 pessoas estão desalojadas.

 

Falta água potável e comida em algumas cidades. Segundo o coronel Neitonio Freitas, coordenador da Defesa Civil, seis helicópteros trabalham no resgate às vítimas nos municípios de Santana de Mundaú e São José da Laje.

 

O governador do Estado, Teotonio Vilela Filho (PSDB), decretou estado de calamidade públicaem 14 municípios. Em Pernambuco também foram registradas outras dez mortes por conta das fortes chuvas e inundações. 

 

O governo do Estado lançou uma campanha para arrecadar donativos para ajudar as vítimas. Todos podem ajudar com alimentos não perecíveis, lençóis, cobertores, fraldas descartáveis e roupas.

 

Veja também:

 

Vítimas das chuvas em PE e AL receberão ajuda, diz ministério

 

As doações feitas neste domingo devem ser enviadas para a Defesa Civil de Alagoas. A partir de segunda-feira, 21, a ajuda será arrecadada na sede da Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social de Alagoas.

 

O governador do Estado de São Paulo, Alberto Goldman, autorizou, nesse domingo,20, o envio de ajuda às vitimas das chuvas em Alagoas, atendendo solicitação do governo local. A Defesa Civil de São Paulo irá enviar água potável, remédios, cestas básicas e colchões, além de 3 equipes de médicos e enfermeiros para Alagoas

 

No sábado, 19, o nível do Rio Paraíba chegou a 6,4 metros. Atalaia, Viçosa, Capela, Quebrangulo, Paulo Jacinto foram as cidades alagoanas mais atingidas. Todas as rodovias federais do estado ainda estão interditadas.

 

Havia pessoas em Rio Largo e Murici. Em União dos Palmares, e a Unidade de Resgate não teve acesso a Subestação da Eletrobrás, onde estavam ilhadas mais de 20 pessoas ilhadas desde sexta-feira, 18.

 

Texto atualizado às 19h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.