Sobe para 16 número de mortos na guerra do tráfico no Rio

O número de mortos no Morro do Vidigal, na zona sul do Rio, subiu para 16 neste sábado, 12. Um traficante morreu em confronto com PMs do Batalhão Florestal, por volta das 10 horas. O embate foi na mata do alto da favela, onde os policiais faziam operação para encontrar armas, drogas e corpos de vítimas dos criminosos. Outros cinco homens morreram em tiroteio na zona norte.A pessoa morta no Vidigal não foi identificada. Na ação, foram apreendidos um fuzil, duas espingardas, uma carabina, uma pistola, granadas e munição. O Vidigal está ocupado por PMs de diversos batalhões há uma semana. Isso porque a favela foi invadida por bandidos que haviam sido expulsos de lá em 2005. Eles estariam tentando retomar pontos de venda de drogas. Não se sabe se este grupo já deixou o Vidigal ou se continua lá, escondido. Na favela Pára-Pedro, em Colégio, na zona norte, cinco homens, com idades entre 20 e 25 anos, morreram durante tiroteio com PMs, na madrugada deste sábado. Todos eles seriam traficantes, informou a polícia. Foram apreendidos três escopetas, um fuzil, uma pistola, um revólver e duas granadas, além de 257 trouxinhas de maconha e 170 papelotes de cocaína.Pelo menos dois dos mortos na Pára-Pedro são, originalmente, do Morro do Juramento, que fica no bairro Vicente de Carvalho, vizinho. Eles estavam na Pára-Pedro porque o Juramento havia sido invadido por uma facção rival, durante a semana. Segundo a PM, a operação foi montada depois que chegou uma denúncia de que os criminosos planejavam voltar ao Morro do Juramento, com o objetivo de retomar pontos de vendas de drogas perdidos. Os PMs chegaram à favela por volta das 4 horas, justamente quando os bandidos se preparavam para sair. O tiroteio logo começou. Nenhum policial se feriu. O policiamento está reforçado nas duas comunidades. A Pára-Pedro também já vivia um clima tenso há duas semanas, por conta de tentativas de invasão de outro grupo, vindo da Favela de Acari.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.