Corpo de Bombeiros
Corpo de Bombeiros

Sobe para 18 número de mortos em acidente com ônibus em Minas

Treze pessoas seguem internadas. O motorista não foi localizado até o momento. Um dos sobreviventes relatou às autoridades que o ônibus, após falha mecânica, voltou na pista, bateu na mureta da ponte e caiu ao lado de uma estrada de ferro

Leonardo Augusto, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

05 de dezembro de 2020 | 12h27

BELO HORIZONTE - Sobe para 18 o número de mortos da queda de um ônibus de ponte nessa sexta, 4, no entroncamento das BRs 381 e 262, no município de João Monlevade, Região Central de Minas a 117 quilômetros de Belo Horizonte. A décima oitava vítima estava internada em hospital de João Monlevade, conforme informações do governo do estado, e faleceu na manhã deste sábado, 5. O total de pessoas no ônibus era de 45. Treze seguem internadas na cidade, três em Belo Horizonte e sete já receberam alta. Três não precisaram de atendimento e um, o motorista, não foi localizado até o momento.

Um dos sobreviventes, o passageiro Cristiano Vieira Batalha, relatou às autoridades que o ônibus, após falha mecânica, voltou na pista, em trecho de subida, bateu na mureta da ponte e caiu ao lado de uma estrada de ferro. Cristiano e outras cinco pessoas, inclusive o motorista, pularam do veículos antes que despencasse. Do total de mortos, 13 morreram no local do acidente e cinco depois de atendimento médico.

O ônibus saiu na quinta-feira, 3, às 9h do distrito de Santa Cruz do Deserto, município de Mata Grande, em Alagoas, e seguia para São Paulo, capital. O veículo não tinha autorização para transporte de passageiros. A Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) informou que o ônibus está vinculado à empresa JS Turismo, que tem um "termo de autorização para prestação de serviço regular de transporte de passageiros". Essa autorização foi concedida, segundo a ANTT, por decisão judicial e de forma liminar. Por outro lado, ainda conforme a agência, o veículo, especificamente, não estava habilitado para o transporte de passageiros. A reportagem não conseguiu contato com a JS Turismo.

Dos 18 passageiros mortos, três foram identificados até o final da tarde deste sábado pelo Instituto Médico Legal (IML), conforme informações da Polícia Civil de Minas Gerais. A corporação informou que oito pessoas que estavam no ônibus já foram ouvidas, mas não revelou o teor dos depoimentos. Segundo o delegado responsável pelas investigações, Paulo Tavares, um motorista do ônibus segue desaparecido. Outro morreu.

Parte das investigações em relação ao acidente ficará a cargo das autoridades de Alagoas. "A Polícia Civil do estado vai fazer diligências na empresa responsável pelo ônibus", afirmou o delegado Tavares. Segundo a Defesa Civil de Minas Gerais, um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) será utilizado para o translado dos corpos das vítimas do acidente para Alagoas. Os sobreviventes estão sendo levados para albergues e terão retorno, de avião, pago pelo governo do estado nordestino.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.