Corpo de Bombeiros
Corpo de Bombeiros

Sobe para 4 número de mortos em razão das chuvas em Minas

Corpo de um adulto foi encontrado nesta sexta no Rio Casca

Bibiana Borba, O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2017 | 16h52
Atualizado 10 Dezembro 2017 | 01h32

Foi confirmado nesta sexta-feira, 8, que chega a pelo menos quatro o número de vítimas fatais das chuvas que provocam inundações na região da Zona da Mata de Minas Gerais, desde o último final de semana. O corpo de Eva de Jesus Juventina, de 67 anos, foi encontrado na comunidade de Tibiriça, próximo ao Rio Casca, a 30 quilômetros de distância de onde ela morava, no sítio Parada Paulista. A casa de Eva foi completamente arrastada pela correnteza. O reconhecimento do corpo foi feito pelo filho da vítima juntamente com a perícia da Polícia Civil e militares do Corpo de Bombeiros.

No último fim de semana, uma idosa, que por problemas de saúde vivia acamada, morreu ao ter sua casa inundada em Ribeirão das Neves, na Grande Belo Horizonte. Também no fim de semana, um garoto de 6 anos morreu depois de ser levado pela enxurrada em Perdizes, no Alto Paranaíba. O corpo de uma menina de 13 anos que morava na zona rural de Urucânia foi encontrado na última terça, 5.

A avó dela, de 67 anos, e um irmão de 7 anos seguem desaparecidos. A família foi levada por uma enxurrada e apenas a mãe conseguiu se salvar, subindo em uma árvore. Há ainda, por causa das chuvas, um homem desaparecido em Vespasiano, na Grande Belo Horizonte. Um idoso de 80 anos também teria desaparecido no distrito de Águas Férreas.

Vários prefeitos da Zona da Mata viajaram a Brasília para pedir ajuda financeira ao governo para reconstrução das áreas inundadas. O presidente Michel Temer (PMDB) anunciou que liberaria cerca de R$ 500 mil em recursos para cada cidade afetada. Apenas Rio Casca, no entanto, estima que serão necessários R$ 30 milhões para a recuperação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.