Sobe para 74 o número de cidades mineiras em emergência pelas chuvas

Desde novembro, 16 pessoas morreram em todo o Estado em decorrência dos temporais

Eduardo Kattah e Marília Lopes, Estadão.com.br

14 de janeiro de 2011 | 14h17

SÃO PAULO - Mais três cidades mineiras decretaram situação de emergência por conta das chuvas, elevando para 74 o número de municípios nesta situação deste outubro do ano passado, segundo informações da Defesa Civil estadual. Já são 124 cidades afetadas pelas chuvas.

 

Veja também:

linkChuva mata mais de 500 na região serrana do Rio

 

As últimas a decretarem situação de emergência, nesta quinta-feira, 13, foram Conceição do Rio Verde, Pouso Alegre e São José do Goiabal. Em todo o Estado, 1.242.545 foram afetadas de alguma maneira pelos temporais, que deixaram 16.975 desalojados e 2.345 desabrigados. Dezesseis pessoas morreram. Apenas em 2011, 26 cidades decretaram situação de emergência.

 

As chuvas nesta semana provocaram estragos em algumas regiões. Em Seritinga, o volume pluviométrico acentuado provocou o transbordamento dos rios Aiuruoca e Franceses, deixando várias ruas inundadas, além de 172 pessoas desalojadas e outras 126 afetadas. Segundo da Defesa Civil, 26 residências foram danificadas.

 

Em Montes Claros, as chuvas acima da média causou alguns danos materiais, danificando residências e problemas com pavimentação urbana. Também foi informado que aproximadamente 120 pessoas estão desalojadas.

 

Árvores. Por meio de nota, a prefeitura de Belo Horizonte destacou que a interdição do Parque Municipal leva em conta o fato de a capital mineira enfrentar um período com alto índice de chuvas, o que provoca o encharcamento das árvores e do solo - que se torna mais maleável, "prejudicando a aderência da terra com as raízes."

 

A medida foi comunicada no fim da tarde de ontem, um dia depois da queda de uma árvore, um jatobá com cerca de 20 anos e aproximadamente 30 metros, matar a aposentada Maria de Fátima Ferreira, de 57 anos, atingida enquanto caminhava no local. A árvore estava com a parte inferior do tronco infestada por cupins.

 

Para justificar o fechamento do parque - principal espaço de lazer da região central de Belo Horizonte -, a prefeitura observou também que o trabalho de vistoria das 3.700 árvores ainda está em andamento. Cerca de mil árvores já foram vistoriadas até o momento, e técnicos detectaram a presença de cupins em 330 delas. Cerca de 16 mil pessoas frequentam o Parque Municipal Américo Renné Gianetti diariamente. Nos fins de semana, o número de visitantes chega a 60 mil.

Mais conteúdo sobre:
chuvasMinas Gerais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.