Sergio MARANHAO / AFP
Sergio MARANHAO / AFP

Pernambuco registra 93 mortos e 26 desaparecidos após chuvas; Recife suspende festa de São João

Três corpos foram encontrados na divisa da capital com a cidade de Jaboatão dos Guararapes. Bolsonaro sobrevoou a região

Thati Teixeira, Especial para o Estadão

30 de maio de 2022 | 10h42
Atualizado 31 de maio de 2022 | 06h07

Subiu para 93 o número de vítimas das chuvas no Recife, conforme atualização realizada pelo Corpo de Bombeiros no início da noite desta segunda-feira, 30. Dois corpos foram localizados no período da tarde desta segunda. Uma das vítimas foi encontrada em escombros após deslizamentos na Comunidade do Areeiro, em Camaragibe, região metropolitana da capital. Ao menos 26 pessoas continuam desaparecidas. Com o objetivo de direcionar recursos para os atingidos pelos temporais, a prefeitura do Recife cancelou a festa de São João, um dos eventos mais tradicionais no Nordeste. 

As buscas seguem ocorrendo em diferentes áreas consideradas críticas, como Zumbi do Pacheco e na comunidade Bola de Ouro, em Jaboatão. Em Camaragibe, a busca é por duas pessoas na região central da cidade.  Já na capital pernambucana, as buscas estão sendo realizadas em Guabiraba e no bairro do Barro, onde seis vítimas ainda não foram localizadas.

Na manhã desta segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro (PL) realizou um sobrevoo de 2h30 em algumas das áreas mais atingidas pelas chuvas na região metropolitana do Recife. Bolsonaro estava acompanhado por ministros, fez um pronunciamento, lamentou a tragédia e fez críticas ao governador Paulo Câmara (PSB). 

No mesmo horário, a assessoria do governo de Pernambuco publicou nas redes sociais um vídeo em que Câmara aparecia em Jardim Monte Verde, fiscalizando as buscas pelos moradores desaparecidos na região. Por volta das 10h30 da manhã, após do sobrevoo, o presidente e sua comitiva deixou o Estado de volta a Brasília.

As chuvas na região, que vêm causando estragos e mortes nos últimos dias, já somam mais de 70% do volume previsto para todo o mês de maio. Mais de 32 mil famílias moram em áreas de risco de deslizamentos somente em Recife e foram orientadas a procurarem um local seguro. Mais de 3.957 pessoas estão desabrigadas e 533, desalojadas. Com o cancelamento do São João, R$ 15 milhões serão destinados aos desabrigados. 

Além dos deslizamentos, uma parte do muro do aeroporto da capital também desabou e dezenas de locais ficaram alagados na região metropolitana de Recife. A Defesa Civil de Recife recebeu 274 chamados de moradores na madrugada do sábado, com pedidos de vistorias e de colocação de lona plástica para proteger das chuvas.

O sistema de transporte público e o comércio da Grande Recife também foi afetado. No final de semana, linhas de ônibus e metrô ficaram paralisados, e lojas e shoppings não abriram. O Corpo de Bombeiros recomendou que a populaçãoevite sair de casa em caso de precipitações mais fortes e busque locais seguros. 

Tudo o que sabemos sobre:
chuva temporal tempestadeRecife [PE]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.