Sobe para cinco número de policiais mortos no Rio desde 5ª

Subiu para cinco o número de policiais assassinados no Rio desde a noite de quinta-feira, 8. O cabo Marcel Soares de Souza, de 32 anos, levou um tiro no rosto após reagir a um assalto em Oswaldo Cruz, na zona norte.De acordo com informações da polícia, Souza teria sido abordado por dois bandidos que tentaram roubar seu carro no trajeto de volta para casa. Ele chegou a ser levado com vida ao Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas não resistiu. O caso está sendo investigado pela 30ª Delegacia de Polícia.No início da noite de quinta-feira, o cabo Sebastião da Silva Santos e o soldado Fábio Roberto da Silva foram assassinados por bandidos em um posto de gasolina em Irajá, na zona norte. Os dois foram atacados por um homem armado com um fuzil e uma pistola na cintura, que saltou de outro veículo. Os bandidos roubaram um fuzil e três pistolas dos policiais.Algumas horas mais tarde, o soldado Fábio Luís Gadelha, de 29 anos, foi morto na Avenida Brasil, uma das principais vias de acesso da cidade, ao abordar um veículo semelhante ao usado na execução dos outros PMs. Em Duque de Caxias, Cláudio Ferreira de Souza, policial do Grupamento Tático Móvel (Getam) foi morto por dois ocupantes de uma moto ao reagir a uma tentativa de assalto.No início da manhã de sexta-feira, 9, bandidos mataram um bombeiro na subida do Morro do Andaraí, também na zona norte. Antônio Mourão Veras, de 52 anos, esperava o ônibus para o trabalho em frente à garagem da empresa de transporte coletivo Viação Saenz Peña, quando bandidos em um Peugeot preto começaram a disparar. As investigações estão com a 20ª DP.GranadasNo início da madrugada deste sábado, 10, duas granadas foram atiradas contra a sede da secretaria de Segurança de Duque de Caxias. Uma delas caiu embaixo de um carro e explodiu. A segunda falhou, segundo a polícia, por tratar-se de um artefato caseiro malfeito.O local onde as granadas foram encontradas fica próximo de bombas de combustíveis que são usadas para abastecer os carros da Guarda Municipal. A polícia ainda não sabe o motivo nem a autoria do ataque. Ninguém ficou ferido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.