Sobrevivente do Legacy tem seus 15 minutos de fama

Até a colisão do jato Legacy, da ExcelAire, com o Boeing 737 da Gol, Joe Sharkey, um colunista da seção de viagens do jornal The New York Times, era um nome conhecido somente entre seus mais fiéis leitores. Desde o acidente, o jornalista se tornou uma celebridade instantânea e tem dado entrevistas para os principais telejornais americanos. O artigo no qual relatou o acidente foi um dos mais acessados na página do jornal americano.O ápice dos "15 minutos de fama" de Sharkey ocorreu nesta quarta-feira, quando ele pôde ser visto pela manhã e à noite em dois dos programas noticiosos de maior audiência na TV americana: respectivamente o Today, da Rede NBC, e o World News, da ABC.Em ambos os relatos, Sharkey contou que logo após a colisão chegou a ter certeza de que iria morrer. "Peguei meu bloco de anotações e escrevi um bilhete para minha mulher, dizendo que a amava, e guardei na minha carteira. Na esperança de que alguém a encontrasse", relatou no depoimento dado ao World News. Na entrevista anterior, ao Today, Sharkey fez menção também ao que ocorreu com os pilotos americanos do Legacy, que tiveram seus passaportes apreendidos e, se considerados culpados, podem até vir a ser presos por homicídio culposo."Temos de ser cuidadosos com a forma com que as provas serão avaliadas. E acredito que estes caras estejam correndo perigo", afirmou. O entrevistador concluiu a entrevista indagando: "E foram eles que salvaram sua vida, não?". Sharkey retrucou: "Sim, absolutamente".Blog Temores em relação ao tratamento dado aos pilotos já haviam rendido ao jornalista uma polêmica com internautas brasileiros, que lançaram mensagens agressivas no blog de Sharkey.Os blogueiros se irritaram com o seguinte comentário que Sharkey colocou em seu blog na segunda-feira: "Estou salvo, surpreso de estar vivo, mas muito preocupado com o destino dos dois pilotos da ExcelAire que ainda estão detidos".Em um trecho de seu comentário, o internauta Nivaldo Ribeiro afirma: "Você disse que os pilotos são heróis porque conseguiram pousar o Legacy de forma segura e salvaram a vida de vocês. Mas eu digo que heróis foram os pilotos do 737, cuja manobra salvou a vida de vocês. Se seus pilotos foram heróis, eles deveriam estar voando na altitude correta e no lugar correto. Mas eles simplesmente ignoraram as indicações dos controladores de vôo brasileiros, como se estivessem voando em um país sem lei".Segundo as autoridades brasileiras, tanto o jato Legacy como o Boeing 737 estavam voando à mesma altitude, de 37 mil pés. O jato deveria estar voando 1.000 pés abaixo da altitude em que se encontrava. Outros internautas acusaram Sharkey de falta de sensibilidade e de não ter levado em conta os 155 mortos no Boeing 737. Uma blogueira, que se identificou como Luciana, chegou até a lembrar daquela que é possivelmente a mais antiga polêmica ligada à aviação envolvendo brasileiros e americanos. "Desnecessário dizer que é uma boa hora para lembrar ao povo americano de que foi Santos Dumont que inventou o avião, não os Irmãos Wright, ok?", afirmou.Talvez por conta da reação impetuosa dos brasileiros, o jornalista tenha concedido entrevistas aos órgãos de imprensa americanos, mas, até o momento, tenha evitado os jornalistas do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.